13º Salário: como investir para fazer render mais?

Compartilhe com seus amigos:

13º Salário: como investir para fazer render mais? 

Com a aproximação do pagamento do 13º salário, é comum surgirem dúvidas sobre como destinar o valor de maneira consciente. É o seu caso? Esse é um recebimento importante para trabalhadores e que pode representar oportunidades.

Uma das maneiras de assegurar o bom uso do dinheiro é planejar com cuidado e consciência o seu destino. Por isso, realizar investimentos inteligentes ajuda a concretizar os seus objetivos para o futuro com o salário extra.

Neste artigo, você verá algumas dicas para utilizar o 13º salário de maneira estratégica e se aproximar das suas metas. Vamos lá?

Qual a importância de planejar o uso do 13º salário?

O momento de receber o 13º salário costuma ser muito esperado pelos brasileiros. Enquanto alguns não sabem o que fazer com a quantia, há quem decida seu destino meses antes de cair na conta. Alguns usos comuns são o pagamento de dívidas e a realização de projetos.

Por outro lado, há pessoas que aguardam a chegada desse salário extra para realizar novas dívidas, como dar a entrada em algum bem. É fundamental alertar que esse comportamento pode prejudicar as finanças, pois acumula compromissos financeiros para o ano que nem começou.

Além disso, é preciso considerar que os primeiros meses do ano trazem novos gastos, como IPVA (Imposto sobre Veículos Automotores), IR (Imposto de Renda), matrículas e materiais escolares etc. Por essa razão, ter uma nova parcela pode ser um problema.

Assim, planejar o uso do 13º ajuda a utilizar o dinheiro de maneira inteligente, a fim de melhorar a sua vida financeira e não para trazer novas dívidas que afetam o orçamento.

Como saber quanto será o 13º?

Muitas pessoas têm dúvidas sobre quanto receberão de salário no 13º. Além do pagamento regular ao final do ano, também é possível receber o valor parcial quando houver rescisão do contrato de trabalho antes de completar um ciclo.

Para calcular a quantia, basta dividir o salário bruto por 12 e multiplicar pela quantidade de meses trabalhados no ano. Desse resultado, é necessário subtrair o valor descontado para o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e do IR. 

E fique atento: muitas vezes, o recebimento é parcelado durante o ano. Nesse caso, a primeira metade não tem descontos, enquanto no segundo pagamento incidem os descontos.

O que fazer com esse valor?

Ciente do valor a ser recebido, você poderá incluí-lo em seu planejamento financeiro. Para definir o melhor destino, é preciso realizar uma análise individualizada sobre as necessidades e objetivos.

Um dos fatores a se considerar é o desejo de oferecer presentes ou comemorar o fim do ano. Reservar uma quantia para essa meta pode ajudar a aproveitar o período sem comprometer todo o dinheiro, pois isso será feito de forma planejada.

Se você tem dívidas, deixar parte do 13º salário para quitar algumas delas é uma ótima maneira de aliviar o orçamento para o ano que se iniciará. Outra possibilidade é guardar uma parcela para as contas do início do ano para evitar imobilizar seu salário durante o período.

Após observar todos esses critérios, caso haja dinheiro livre, pode ser bastante interessante investir em seus objetivos. Afinal, a oportunidade de um salário extra pode ser aproveitada para aumentar o patrimônio e contribuir com a realização dos sonhos.

Além disso, ao investir seu dinheiro, se torna possível proteger seu poder de compra e alcançar metas de curto, médio e longo prazo.

Como investir o 13º salário?

Se você decidir por investir o dinheiro do 13º salário, há dicas que ajudam a definir as melhores alternativas para o seu caso. Confira!

Defina suas metas

Primeiramente, você precisa definir quais são as suas metas e como o 13º ajudará a alcançá-las. Isso é importante porque, além de motivar a sua organização, também orienta a escolha dos ativos para investir.

Existem muitos tipos de investimentos, com características distintas de prazo, risco, rentabilidade e liquidez (tempo necessário para resgatar o valor). Todos esses fatores influenciam na decisão e podem atender a demandas específicas. 

Garanta a reserva de emergência

Independentemente da situação financeira, ter uma reserva de emergência é necessário. Esse valor equivalente a 6 meses do seu custo de vida e é uma proteção em casos de imprevistos. 

Não ter essa segurança pode afetar os demais objetivos. Afinal, sempre que houver alguma emergência financeira será preciso resgatar o dinheiro que estava destinado a outra finalidade.

Descubra o seu perfil de investidor

Como você viu, uma das características dos investimentos é o nível de risco. Qualquer aporte tem algum risco e isso precisa ser conhecido. Para avaliar a sua tolerância diante desse fator, existe um teste de perfil de investidor.

Ao responder as perguntas, você será encaixado em um dos três perfis: conservador, moderado e agressivo/arrojado. Depois de descobrir o seu perfil para os investimentos, será possível ter acesso aos investimentos mais adequados para a composição de uma carteira.

Conheça as alternativas de investimentos

Por fim, é importante conhecer as alternativas de investimentos para selecionar as mais indicadas para o seu perfil e objetivos com o 13º salário. Nesse sentido, é preciso ter em mente que existem duas grandes classes de ativos: a renda fixa e a renda variável.

A renda fixa tem uma regra de rentabilidade conhecida no momento da aplicação. Por isso, é considerada uma classe com menos riscos. Ela funciona como um empréstimo, em que o investidor aporta seu dinheiro e recebe de volta em um prazo acordado, acrescido dos rendimentos.

Alguns exemplos de investimentos de renda fixa são os títulos do Tesouro Direto, os CDBs (certificados de depósito bancário), as LCIs (letras de crédito imobiliário) e as LCAs (letras de crédito do agronegócio).

Já a renda variável é menos previsível, mas pode ter ganhos mais altos. Nesse caso, o investidor não sabe se haverá rentabilidade, sendo possível resgatar um valor menor em relação ao aporte. Assim, ela oferece mais riscos — que podem ser manejados com análises adequadas e foco no longo prazo.

Entre os ativos mais populares da renda variável estão ações, fundos imobiliários e ETFs (exchange traded funds) — que são bastante acessíveis para qualquer investidor. Caso seja do seu desejo investir neles, não deixe de conhecer mais sobre cada alternativa.

Realizar um bom planejamento para o 13º salário é uma forma de utilizar o dinheiro em benefício dos seus objetivos. Lembre-se, no entanto, que os investimentos apresentam melhores resultados com aportes regulares. Portanto, vale a pena continuar a investir ao longo do ano que se iniciará.

Ainda tem receio de realizar investimentos? Então leia também 5 dicas para perder o medo de investir e fazer seu dinheiro render!

Deixe um comentário aqui =D