Onde investir com a inflação em alta? Descubra! 

Compartilhe com seus amigos:

Onde investir com a inflação em alta? Descubra! 

Um dos principais indicadores de uma economia é a inflação. Por meio dela, é possível acompanhar os preços gerais e o poder de compra dos consumidores. Nesse sentido, um cenário de inflação em alta inspira cuidados — inclusive, dos investidores.

Isso acontece porque, quando essa taxa avança rapidamente, o retorno real da sua carteira pode ficar comprometido. Para lidar com a situação, o ideal é saber onde e como investir nos períodos de inflação mais elevada.

Quer saber mais? Neste artigo, você entenderá qual pode ser a melhor opção de investimento com a inflação em alta. 

Confira!

O que é a inflação e como ela ocorre?

A inflação corresponde ao aumento contínuo e generalizado de preços na economia. Ela representa, portanto, a perda de valor do dinheiro ao longo do tempo. Afinal, os preços maiores diminuem o poder de compra de maneira progressiva.

No Brasil, a inflação é medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O acompanhamento é feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que pesquisa os preços de uma cesta de produtos e serviços, de modo mensal.

A inflação acumulada é dada pelo resultado dos últimos 12 meses e indica qual foi o avanço dos preços no período. Em relação às causas para a aceleração da inflação, elas podem ser variadas. 

O aumento do dólar, por exemplo, afeta insumos que geram impactos para o consumidor final. Com a valorização da moeda estrangeira, o barril de petróleo fica mais caro e a gasolina encarece —afetando todo o setor de entregas.

O processo de inflação também pode ocorrer pelo desequilíbrio entre oferta e demanda. Se o consumo se eleva, os preços sobem. Já se a oferta fica menor, é comum que os custos também fiquem mais elevados.

O que significa a inflação em alta?

Além de entender o que representa a inflação, é preciso considerar o que significa quando ela está em alta. Normalmente, a inflação alta é aquela que fica acima da meta do Banco Central (Bacen).

Como esse indicador faz parte da política monetária do país, o Bacen estabelece limites mínimo e máximo e o centro da meta. Se a inflação ficar acima do limite superior, pode-se dizer que ela está em alta.

Também é possível defini-la desse modo quando os resultados mensais apresentam avanços significativos. Assim, uma sequência de meses positivos e em crescimento em relação aos anteriores indica a aceleração inflacionária.

Qual é a relação entre inflação e os investimentos?

Compreender o funcionamento da inflação é especialmente importante no caso de quem investe. Afinal, ela afeta o rendimento que você obtém com sua carteira. Isso acontece porque a inflação deve ser descontada da rentabilidade nominal, o que dá origem à rentabilidade real. 

Então, quanto maior for a inflação, maior tem que ser a rentabilidade nominal obtida. Do contrário, a rentabilidade real pode ser negativa — o que indica uma retração do patrimônio e a perda do poder de compra.

Por conta disso, investir durante uma fase de inflação em alta exige atenção extra. Aplicações com rentabilidade muito limitada podem acabar levando ao prejuízo pela perda do poder de compra, mesmo obtendo rentabilidade nominal.

Onde investir com a inflação alta?

Como as escolhas de investimento demandam cuidado em momentos de inflação alta, vale a pena conhecer quais são as oportunidades que podem ser mais indicadas para o período. Antes de decidir, entretanto, sempre considere seu perfil de investidor e seus objetivos. 

Ademais, pense nos riscos que está disposto a correr e quais resultados espera obter para poder compor uma carteira adequada com as alternativas de mercado. Com essa análise em mente, será mais fácil encontrar investimentos mais adequados.

Conheça a seguir algumas possibilidades de onde investir durante um período de inflação em alta!

Títulos atrelados à inflação

A primeira alternativa faz parte da renda fixa e envolve os títulos que têm rendimento atrelado à inflação. Eles são chamados de híbridos, porque o rendimento é composto pela variação do IPCA mais uma taxa prefixada.

Essas aplicações, portanto, oferecem a chance de ganhar acima da inflação, independentemente da taxa. Porém, é preciso notar que muitos desses títulos são de longo prazo e têm baixa liquidez. Mesmo entre aqueles que podem ser resgatados antecipadamente, há o efeito da marcação a mercado.

Esse é um mecanismo de precificação para o caso de resgate antecipado e que pode fazer com que o preço de venda seja menor que o de compra. Logo, é válido ter o cuidado de considerar o prazo para conseguir levar esses títulos até o vencimento.

Fundos de inflação

Os fundos de inflação são veículos coletivos que focam em títulos atrelados à inflação. Por meio da aquisição de cotas, você pode participar dos resultados obtidos por um gestor. Assim, eles são mais uma forma de obter proteção contra o avanço da inflação.

ETFs

Em um momento de alta da inflação, é possível também focar na diversificação em investimentos de renda variável. Historicamente, eles apresentam maior potencial de rendimentos. Por isso, podem ajudar a driblar a perda de poder de compra. E, entre as possibilidades, há o investimento em ETF.

Também conhecido como fundo de índice, o ETF tem o objetivo de replicar a carteira teórica de um indicador de mercado. Com isso, antes de taxas e impostos, o desempenho desse fundo é equivalente à performance do índice de referência.

Como muitos deles replicam índices de ações, a relação entre risco e retorno pode trazer potencial de ganhos acima da inflação. Outro ponto importante é que há a chance de investir em ETFs com exposição internacional. 

Essa pode ser uma forma de driblar o contexto de inflação alta no mercado nacional. Afinal, a alta nos preços pode reduzir o consumo e diminuir os resultados das ações. Com a exposição internacional, no entanto, você diversifica os riscos e pode não ser tão afetado pela economia brasileira.

Aportar em ETFs com exposição internacional também é uma maneira de dolarizar parte da carteira. Se a inflação for causada pelo avanço do dólar, você estaria se protegendo parcialmente desse movimento ao ter ganhos atrelados à moeda norte-americana. 

Como você aprendeu, a inflação em alta pode prejudicar o retorno dos seus investimentos. Para lidar com essa situação, é preciso recorrer à diversificação de investimentos e, entre as alternativas, o ETF pode ajudá-lo a manter o poder de compra.

Essas informações foram úteis? Para investir em ETFs com exposição internacional, conheça o portfólio da Investo e veja o que oferecemos!

Deixe um comentário aqui =D