Planejamento financeiro: como começar 2021 com o pé direito?

planejamento financeiro
Compartilhe com seus amigos:

Saudações investers! 

2021 está chegando e você já começou a preparar o seu planejamento financeiro? Não? Então, vamos conversar um pouco sobre isso.

__

Pandemia, incertezas e a necessidade do planejamento

Finalmente, o difícil 2020 acabou. Foram momentos difíceis não é mesmo? A pandemia e as instabilidades econômicas de um mundo em constante transformação ampliaram o espectro da incerteza. Com certeza, muitos de nós chegamos a pensar se manteríamos nossa renda, nosso emprego, nosso padrão de consumo etc.

E, por mais que 2021 seja um ano novo e diferente, algumas influências de 2020 ainda estarão no horizonte. Não sabemos quando uma vacina estará plenamente disponível aqui em terras brasileiras. Consequentemente, o futuro permanece um tanto opaco quanto à retomada da economia e do nível de emprego.

Entretanto, nós já aprendemos algumas coisas nos textos deste blog. Sabemos que a tendência de aumento de investidores na bolsa é provavelmente irreversível. E, também, sabemos que a educação financeira é uma arma extremamente importante que temos ao nosso dispor. Por isso mesmo, o planejamento financeiro será ainda mais importante para o ano que se avizinha.

__

Planejamento financeiro: definições básicas

Planejar significa definir metas e traçar o caminho para atingi-las.

Prezad@ invester, vem cá: procure você mesmo fazer isso agora. Trace uma meta para daqui a um ano, como por exemplo juntar uma determinada quantidade de dinheiro ou se livrar de uma dívida. Você percebeu que, ao fazer isso, você acaba se movimentando? Dá início a um processo de organização? Começa a pensar na vida, nos gastos, em disciplina etc.?

Pois é, viu como isso é importante?

Sem objetivos nós não começamos nada. Simplesmente acabamos empurrando tudo com a barriga. Então é isso. Mentalize sobre quanto de dinheiro quer juntar até o fim do período, prepare um orçamento para fazer aquele curso importante, organize-se para quitar aquela dívida.

__

Quite e/ou renegocie suas dívidas

Muitas vezes, nós vamos tocando a vida caminhando, cantando e …. parcelando! A princípio, nada contra. O crédito é uma fonte importante de funcionamento da economia e oxalá ele estivesse disponível – em condições dignas – para todas as pessoas. Mas, apesar de sua importância, é preciso tomar cuidado e sempre ajustá-lo a seu fluxo de caixa.

 Fluxo de cuma?

O fluxo de caixa é simplesmente uma organização descritiva de seus gastos e receitas. Se a parcela de um financiamento ocupa um espaço pequeno de seus rendimentos, vá lá, dá pra fazer. O problema é que algumas pessoas se empolgam e entram em várias dívidas, acumulam parcelas sobre parcelas e por aí vai…

Lembre-se que é sempre melhor comprar tudo à vista. Ao fazer um financiamento você não só compromete sua renda em um prazo mais longo como também paga juros embutidos nas parcelas, que são muitas vezes invisíveis para muita gente. No fim, você vai se enforcando e nem percebe.

Por isso, procure aliviar – ou eliminar de vez – o peso da dívida no seu orçamento. Isso pode significar um sacrifício no presente, mas gerará alívio no futuro. Por fim, mas não menos importante: é muito melhor ganhar juros do que pagar juros aos outros. Não se esqueça. Falaremos mais sobre isso daqui a pouco.

__

Organize seu orçamento

Você viu que eu acabei de falar sobre fluxo de caixa. Uma boa maneira de manter controle sobre ele é organizar em uma planilha os seus ganhos e as suas despesas. Mas Henrique, eu tenho aversão a computador! Nem sei o que é esse tal de Excel!

Sem problemas. Tem gente que até faz no papel. Mas vá por mim, estamos aqui para superar nossas dificuldades e obter novos aprendizados. Há muitas planilhas praticamente prontas na internet para esse assunto. Não é nenhum bicho de sete cabeças. Além disso, você pode pedir ajuda a algum parente, amigo ou conhecido. Vai que dá.

É simples: em uma coluna você registra seus ganhos (salário, aposentadoria e qualquer outro rendimento), na outra coluna as despesas (água, luz, internet, telefone, mensalidade escolar, parcela do apartamento, alimentação etc.

Uma diga que eu dou é separá-las por categoria:

  • Despesas fixas: são aquelas que variam muito pouco e estão sempre presentes em nosso cotidiano, tais como aluguel (ou prestação), água, energia, telefone, gás, condomínio, mensalidade da escola, plano de saúde, IPVA, IPTU etc.
  • Despesas variáveis: são aquelas que não ocorrem sempre e estão sujeitas a maior variabilidade. Exemplos: lazer em geral (baladas, cinema, teatro, passeios, bares etc.), presentes, restaurantes, consumo de roupas, remédios, utensílios domésticos, tecnológicos e serviços em geral.

Tendo esse controle você terá um mapa de sua vida financeira em sua frente. Com isso, você sabe se consegue guardar algo, quanto é esse montante e se dá para fazer melhor.

__

Corte gastos desnecessários

Agora é a hora de praticar organização e disciplina. Passe em cada item de sua despesa e pense sobre cada um deles. Vou te afirmar: é quase sempre possível economizar aqui e acolá.

Sabe aquela assinatura de jornal ou revista que você mal tem tempo de ler? Que tal revê-la? Há tanto conteúdo acessível de maneira gratuita (mas procure sempre o que tiver qualidade, ok?) que talvez você não sinta tanta falta. Mas se você faz tanta questão de manter a assinatura, passe para outra rubrica.

Que tal estabelecer uma meta para diminuir os gastos com aplicativos de entrega de refeições? Ir ao mercado e cozinhar em casa é não só mais barato (se bem que depende do que você gasta no mercado né?) como pode ser mais saudável.

E aquela corrida de Uber que você sempre utiliza porque saiu atrasado ou por preguiça de caminhar, pedalar ou pegar o transporte público? Já pensou em cortar? Também é possível rever seus planos de celular, internet etc.

Ah, mas não abro mão do meu lazer! Fim de semana é só alegria, sextou na balada! Ok, não tem problema nenhum fazer isso de vez em quando. Mas saiba que tem várias formas de se divertir de maneira mais barata. Geralmente, em cidades médias e grandes, há sempre exposições, shows e festas com entrada livre ou muito barata.

Já pensou também em chamar seus amigos para um piquenique no parque ou para uma “balada” em casa?Enfim, basta usar a criatividade.

__

Faça o dinheiro trabalhar para você

Beleza, fiz tudo certo, planejei, me organizei e cortei despesas em excesso. O que fazer agora? Bem, se você é novo por aqui, te convido a navegar pelos textos que escrevi ao longo desse ano. Neles, você vai encontrar várias dicas de como aplicar seu dinheiro para ter rendimentos. São muitas opções: renda fixa, renda variável, fundos de investimento, ETFs… Vai por mim: todas são bem mais interessantes do que deixar seu dinheiro na poupança.

Então, se você consegue economizar e tem um planejamento em seu horizonte, utilize esta sua disciplina para investir. Assim você trará rendimentos constantes para sua conta. Não importa que o valor seja baixo. Você pode investir com 30, 40, 50 reais ….

Veja que esse já pode ser seu próprio planejamento, sua própria meta: “vou guardar 50 reais por mês para investir em ETFs”, por exemplo. Basta unir o útil ao agradável.

__

Feliz 2021!

É isso, meus car@s investers. Espero que esse ano comece melhor para todos nós e que as dicas desse texto lhes ajudem a efetuar um bom planejamento financeiro.

Foi um prazer escrever todos esses textos em 2020. Seguiremos juntos em 2021 com mais dicas e informações importantes

Feliz ano novo, muita paz e saúde a todos!

Até a próxima!


Henrique Pavan

Professor de Economia, com 10 anos de experiência em graduação e pós. Produtor de conteúdo nas áreas de finanças e economia. Possui doutorado pela UFABC, no qual pesquisou temas como moedas socais, inclusão financeira e a relação entre moeda/sistema financeiro com o desenvolvimento local.


Mais posts para você

Deixe um comentário aqui =D