Qual a diferença entre investir em ETFs e ações?

Compartilhe com seus amigos:

Qual a diferença entre investir em ETFs e ações? 

Embora o investimento em ações seja bastante difundido entre investidores, ele não é a única oportunidade na bolsa de valores. Por exemplo, também é possível investir em ETFs, que são fundos que podem apresentar vantagens. E, para fazer escolhas acertadas, vale a pena conhecer a diferença entre ações e ETF.

Dessa forma, você entenderá o que cada investimento pode oferecer e como se encaixa em sua estratégia. Assim, é possível definir qual é a composição de carteira mais interessante para alcançar os seus objetivos.

Continue a leitura deste artigo para conhecer a diferença entre investir em ETF e em ações. Ainda, saiba como aproveitar essas oportunidades na bolsa de valores do Brasil.

Confira!

O que são ações?

As ações são pequenas partes do capital social de uma empresa negociada na B3, a bolsa de valores brasileira. Por meio delas, você se torna acionista de uma companhia de capital aberto.

Assim, há direito de participar dos resultados de diferentes companhias a partir da compra dos papéis. Porém, vale destacar que a sua participação será sempre proporcional ao número de ações que você possui. 

Como funciona o investimento em ações?

Em relação ao funcionamento, investir em ações exige a compra desses ativos diretamente na bolsa de valores. Você pode adquirir tanto o lote padrão — que costuma ser de 100 ações — quanto negociar no mercado fracionário.

Já em relação aos rendimentos, existem duas principais possibilidades. A primeira é pelo ganho com a venda das ações por um preço mais elevado que o de compra, caso ela se valorize com o tempo. A segunda é pelo recebimento de proventos.

Eles têm como objetivo remunerar os acionistas e podem ser de diferentes tipos, como os dividendos. Nesse caso, trata-se de uma fração do lucro líquido, distribuída proporcionalmente entre os investidores. 

Inclusive, o pagamento de proventos é um dos benefícios do investimento em ações, podendo gerar renda passiva para o investidor. Contudo, essa alternativa também tem desvantagens que devem ser consideradas. 

Uma delas se refere aos custos. Afinal, é comum que seja preciso dispor de uma quantia elevada para ter uma carteira de ações que seja significativa e diversificada. Também é necessário acompanhar as empresas individualmente, antes e depois do investimento. 

Antes de investir, você deve fazer uma análise fundamentalista de cada companhia para tomar decisões embasadas. Após o investimento, o acompanhamento permitirá fazer ajustes na carteira, caso necessário.

O que são ETFs?

Já os exchange traded funds (ETFs) são os fundos de índice. Eles são fundos de investimento cujo objetivo é replicar a carteira teórica de um índice de mercado. Para tanto, ele investe nos mesmos ativos e na mesma proporção prevista pelo indicador.

Como esse fundo tem a chamada gestão passiva, a ideia é acompanhar o desempenho do mercado — e não superá-lo. Antes de taxas e impostos, o resultado do ETF tende a estar equiparado ao do índice de referência.

Como funciona o investimento em ETFs?

Para saber como investir em ETF, note que ele é um veículo que funciona como um condomínio financeiro. Logo, a participação do investidor em seus resultados depende da aquisição de cotas.

Já o investimento nos ativos que compõem o fundo é feito por um gestor profissional, que movimenta o patrimônio com base na estratégia. No caso dos ETFs, a negociação das cotas ocorre diretamente na bolsa de valores.

Nesse caso, o rendimento pode ocorrer, principalmente, pela valorização dos ativos que compõem o ETF e das cotas de participação. Ao vendê-las por um preço mais elevado que o de compra, é possível obter ganho de capital.

Quanto às vantagens, uma das razões para investir em ETFs é a praticidade. Ela está relacionada ao fato de que todas as operações são executadas pelo gestor. Esse fundo também traz uma forma mais acessível de se expor a ações ou outros ativos, já que é preciso apenas comprar as cotas.

Também vale considerar que essa é uma maneira de ter uma carteira diversificada com menos custos. Isso porque é comum que os índices espelhados contem com diversos ativos em sua composição.

Além disso, é possível até investir no exterior por meio de um ETF que replique um índice internacional. Isso amplia a diversificação, ajuda a diluir os riscos e pode potencializar os seus ganhos.

Em relação às desvantagens, há o fato de você não ser sócio direto da empresa e não receber seus dividendos. Nesse caso, eles serão reinvestidos no próprio ETF. Porém, é uma forma de compor uma carteira muito mais completa.

Quais as diferenças entre ETF e ações?

Até aqui, você conheceu as características principais de cada tipo de investimento. Então, é interessante entender as diferenças entre eles para decidir o que faz mais sentido para você.

Como você viu, comprar ações significa investir em uma empresa por vez. Já no caso do ETF, é possível se expor a diversas companhias ou outros investimentos de uma só vez. Como isso é feito em apenas uma operação, há menos custos operacionais nos ETFs.

E, como a gestão é passiva, a taxa de administração tende a ser menor que a de outros fundos, beneficiando o retorno. Outro diferencial dos ETFs é a possibilidade de fazer um investimento internacional. 

Com esse tipo de fundo, é possível investir em empresas internacionais sem sair do Brasil ou fazer a conversão cambial. Com as ações, entretanto, você só pode investir nas multinacionais com capital aberto na B3 ou precisará realizar operações em outro país.

É melhor investir em ETF ou em ações?

Considerando as diferenças entre as alternativas, você pode decidir se vale mais a pena investir em ações ou ETF. Afinal, não existe uma resposta definitiva sobre isso, já que você deve avaliar seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros para tomar uma decisão.

Contudo, vale saber que, embora ambos sejam voltados para o longo prazo, o ETF pode ter um risco menor devido à diversificação. E, por conta de seu funcionamento, ele pode ser útil à carteira de diversos investidores, o que inclui os iniciantes.

No entanto, investimentos em ações não precisam ser descartados. É possível compor a carteira com as duas opções, compondo uma estratégia mais robusta. 

Como você viu, investir em ETF e ações têm diferenças que devem ser consideradas na escolha. Então vale a pena analisar as características de cada alternativa e os seus objetivos para compor a sua carteira com maior segurança. 

Gostou deste conteúdo? Se quiser saber mais sobre ETFs e como investir na alternativa, conheça os fundos da Investo!

Deixe um comentário aqui =D