Quais são as diferenças entre ações preferenciais e ordinárias?

Compartilhe com seus amigos:

Saudações caros investers! Hoje é dia de comentar as diferenças entre ações preferenciais e ordinárias. Antes de tudo vamos lembrar o que são ações? Como expliquei em outro post, as ações são títulos que representam a menor fração do capital de uma empresa. Em outras palavras, quando você compra um lote de ações passa a ser proprietário da empresa na proporção do tamanho desse lote.

Vantagens em possuir ações

A seguir, enumero algumas possíveis vantagens em se possuir ações:

  • Receber dividendos, isto é, parte dos lucros da empresa em questão;
  • Possibilidade de valorização da própria ação (se a empresa cresce, o preço de suas ações vai na mesma direção, aumentando o valor do seu patrimônio);
  • Receber juros sobre o capital próprio, que são uma maneira de as empresas distribuírem recursos aos acionistas antes de auferirem lucro líquido, diminuindo assim seus gastos com impostos. Para o acionista não há grandes diferenças em relação aos dividendos. Ele receberá esses recursos em sua conta da mesma maneira, com a diferença de que deverá pagar imposto de renda, algo que não ocorre no caso dos dividendos.
  • Acesso a bonificações. Imagine que você tenha R$ 1.000,00 em ações de uma empresa com valor de R$ 10.000,00 (valor puramente hipotético!). Supondo que o capital desta empresa se valorize em 20% passando para R$ 12.000,00. Automaticamente, o acionista terá direito a manter sua proporção de ações (no caso de 10%), passando a possuir um total de R$ 1.200,00.

Ações Ordinárias (ON)

As ações ordinárias são geralmente assinaladas como ON e carregam o número 3 ao final de suas siglas. Veja os exemplos:

  • MRVE3 – ação ordinária da empresa MRV;
  • MGLU3 – ação ordinária da empresa Magazine Luíza;
  • PETR3 – ação ordinária da Petrobrás.

Características das ações ordinárias

As ações ordinárias concedem a seus possuidores o direito a voto nas assembleias da empresa. Sim, é isso mesmo que você entendeu!

Ao comprar tais ações, você passa a ter a oportunidade de votar sobre os destinos da empresa. Poderá opinar sobre o que ela deve fazer com os lucros do período como por exemplo investir em uma nova fábrica ou comprar novos equipamentos. Existe também a possibilidade participar da eleição de membros da diretoria, auxiliar na elaboração do estatuto, entre outros aspectos.

Vale lembrar que cada ação dá direito a um voto, de modo que o poder de decisão no dia a dia da empresa se concentra nos investidores com o maior número de ações. Uma outra vantagem das ações ordinárias é a existência do “tag along”. Em caso de venda da empresa, os acionistas podem vender suas ações para os novos controladores por, no mínimo, 80% do seu valor de mercado.

Ações Preferenciais (PN)

As ações preferenciais são geralmente assinaladas como PN e carregam o número 4 ao final de suas siglas. Veja os exemplos:

  • ITUB4 – ação preferencial do banco Itaú;
  • CMIG4 – ação preferencial da CEMIG;
  • KLBN4 – ação preferencial da companhia Klabin.

Características das ações preferenciais

Ao contrário das ações ordinárias, as ações preferenciais não concedem direito de voto a seu possuidor. Por outro lado, os portadores dessas ações têm preferência (daí vem seu nome) na distribuição dos dividendos e no reembolso de seu capital (ou ao menos parte dele) em caso de fechamento da empresa.

As ações preferenciais geralmente possuem maior liquidez (embora não seja uma regra para todas as empresas) no mercado. Ou seja, é muito fácil comprar e vendê-las, o que diminui o risco de ficar com um ativo indesejado em suas mãos.

Concluindo…  qual opção é a melhor?

Caro invester, a melhor resposta para esse tipo de pergunta é …. depende!

Se você é um investidor passivo, ou seja, quer aplicar seu dinheiro e deixá-lo render sem grandes preocupações, então a melhor opção seria buscar ações preferenciais. Além de tudo, elas geralmente são opções para iniciantes no mercado. Além disso, se você quer opções de prazo um pouco mais curto (lembrando que, de qualquer maneira, o mercado de renda variável exige paciência e geralmente prazos mais longos do que o de renda fixa) e prefere ter liquidez disponível, então mais uma vez, as ações preferenciais lhe serviriam melhor.

Já as ações ordinárias te garantem o “tag along”, uma garantia que pode fazer a diferença. Além disso, participar das decisões da empresa – mesmo que você esteja longe de possuir a maioria dos votos – pode se constituir em um grande aprendizado no mundo corporativo e das finanças em geral.

Em resumo, o mais importante é conhecer seu perfil de investidor: mais arrojado? Conservador? Nem lá nem cá? A partir disso, pesquise informações sobre as empresas listadas na bolsa. Elas são obrigadas por lei a divulgarem informações como política de governança, relação com investidores, resultados financeiros etc.

Não esqueça também que diversificar sua carteira de investimentos é uma atitude muito importante. Sendo assim, você pode selecionar tanto ações preferenciais quanto ordinárias na proporção que achar mais adequada.

Falando em diversificar, no próximo post vou falar um pouco sobre Fundos de Investimentos. Não perca!

Um abraço e até a próxima.


Henrique Pavan

Professor de Economia, com 10 anos de experiência em graduação e pós. Produtor de conteúdo nas áreas de finanças e economia. Possui doutorado pela UFABC, no qual pesquisou temas como moedas socais, inclusão financeira e a relação entre moeda/sistema financeiro com o desenvolvimento local.


Mais posts para você

Deixe um comentário aqui =D