A cadeia de suprimentos global está em escassez: quais os efeitos disso no mercado?

Compartilhe com seus amigos:

A cadeia de suprimentos global está em escassez: quais os efeitos disso no mercado?

O fato de os países estabelecerem relações comerciais globalizadas fez com que, ao longo dos anos, a cadeia de suprimento do mundo fosse interdependente. Porém, essa característica pode trazer desafios — como o quadro de escassez de suprimentos que tem sido observado.

Como essa situação pode ter impactos generalizados, é importante entender o contexto dela e os seus efeitos no mercado financeiro. Assim, você pode se preparar adequadamente para lidar com a situação — inclusive, realizando investimentos estratégicos.

Se você quiser destrinchar o cenário de escassez da cadeia produtiva global, confira este artigo que preparei sobre o tema!

O conceito de cadeia de suprimentos e de sua escassez

Antes de entender o que afeta a cadeia de suprimentos, vale a pena compreender esse conceito. Na prática, uma cadeia de suprimento ou supply chain é uma rede interligada de fornecimento que permite que a matéria-prima se transforme no produto vendido ao cliente final.

Entre os exemplos, vamos considerar a cadeia de suprimentos do setor alimentício. Normalmente, o processo começa no campo, pela produção agrícola ou pecuária. Em seguida, há o transporte para a indústria alimentícia, que poderá processar os alimentos. 

Depois, ocorre a movimentação em direção aos distribuidores, até que o varejo seja alcançado. Por fim, o cliente pode fazer a compra do produto pronto para ser preparado e consumido.

O problema é que qualquer interrupção nesse fluxo pode gerar um grau de escassez no processo. Se ocorrerem falhas na distribuição, por exemplo, haverá um acúmulo de produtos finalizados nas primeiras etapas, mas uma falta de oferta para os clientes finais.

É por isso que uma das preocupações sociais tende a ser o gerenciamento da cadeia de suprimentos e de toda a logística envolvida. Assim, é possível garantir que os setores funcionem conforme o esperado.

Os motivos da escassez da cadeia de suprimentos no mundo

Embora o objetivo seja manter a cadeia de suprimentos abastecida e em funcionamento, não é isso que vem acontecendo no contexto global. Na verdade, há uma variação nos volumes que deveriam estar disponíveis para os países — e isso gera efeitos nas cadeias produtivas.

O problema é observado especialmente na produção de alimentos. Para justificar esse quadro, devemos analisar dois contextos principais. Veja quais são eles!

Pandemia de covid-19

O primeiro problema em escala global é a pandemia de covid-19, que teve início em 2020. Ainda no ano inicial da epidemia ocorreu uma interrupção temporária, mas generalizada, de diversas atividades pelo mundo.

Como consequência, houve uma diminuição em todo tipo de cadeia de suprimento — não apenas na alimentícia. A produção, venda e comercialização de matérias-primas foi afetada e impactou também a produção de alimentos.

Mesmo com o avanço global da vacinação, os desafios relacionados à pandemia continuam. Existe, por exemplo, dificuldades ligadas ao transporte. Elas estão relacionadas ao aumento de demanda, que pode superar a capacidade dos portos.

Além disso, a pandemia provocou uma redução geral na força de trabalho. Em muitos países, tornou-se mais difícil encontrar profissionais para preencher cargos necessários. Um exemplo é o Reino Unido, que passou a ter dificuldades para contratar motoristas após a pandemia.

Guerra entre Rússia e Ucrânia 

Além da pandemia, é preciso considerar os impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia na escassez de alimentos. Em parte, isso acontece porque há uma grande produção de produtos agrícolas na região do Leste Europeu. 

Logo, o escoamento desses produtos e a continuidade da oferta estão em risco. Outro ponto importante envolve os fertilizantes. Uma grande porção deles tem origem na Rússia ou em Belarus, que faz fronteira com o território russo.

Diante das sanções econômicas impostas por Estados Unidos e países europeus à Rússia, o Kremlin recomendou a suspensão da exportação de fertilizantes. A medida foi seguida por Belarus, país considerado aliado da Rússia.

Como consequência, a produção agrícola de grande parte do planeta está em risco. Isso traz ainda mais efeitos para o gerenciamento da cadeia de suprimentos.

Em ambos os cenários, um dos motivos para o descolamento entre oferta e demanda é o fato de as cadeias produtivas serem mantidas distantes dos países. Com isso, muitos Governos passaram a considerar diminuir o raio de dispersão das cadeias, a fim de evitar problemas futuros.

As consequências da ruptura da cadeia de suprimentos

Além de conhecer as causas da cadeia de suprimentos global em escassez, é importante entender quais são os impactos que ela pode causar. De forma prática, o principal efeito é o aumento dos preços para o consumidor final, o que eleva a inflação.

Ainda, outros fatores estimulam a elevação dos preços. Entre eles, está o encarecimento da energia. Esse cenário ocorre tanto pela elevação do preço do barril de petróleo no contexto da guerra quanto pela diminuição de oferta por parte da Rússia.

Como consequência, a tendência é que os preços subam ainda mais, o que poderá afetar toda a economia global. Isso também pode impactar o mercado financeiro, interferindo na rentabilidade real do portfólio de diversos investidores.

O investimento como ferramenta de proteção

Como você viu, a cadeia de suprimentos em escassez pode afetar tanto a economia global quanto o mercado de investimentos. Para lidar com a situação e mitigar os riscos, pode ser interessante recorrer a investimentos estratégicos.

Por meio dos exchange traded funds (ETFs) ou fundos de índice, por exemplo, você pode se expor a uma carteira diversificada de maneira acessível. Se quiser investir no setor alimentício para explorar uma possível recuperação da cadeia, o FOOD11 é uma alternativa que estará em breve disponívei B3, a bolsa de valores brasileira.

Esse ETF replica o indicador MVIS Global Agribusiness Index. Por isso, ele garante exposição a mais de 50 companhias globais do setor agrícola. Ao total, são mais de 1,1 bilhão de dólares sob gestão — com cobertura de 90% do segmento.

Se você acredita na tendência de que a escassez seja solucionada e a produção de alimentos aumente ao longo dos anos, essa pode ser uma oportunidade de aproveitar o movimento. 

Além disso, pode ser uma forma de se proteger da inflação. Afinal, a elevação dos preços dos alimentos pode se refletir no desempenho das empresas desse setor, valorizando as ações.

Como você viu, a cadeia de suprimentos global sofreu impactos tanto da pandemia quanto do início da guerra na Ucrânia, levando à escassez. Nesse contexto, é possível se proteger ou aproveitar oportunidades na recuperação do mercado — e o investimento em ETF pode ajudá-lo.

Que tal explorar o fundo de índice ligado à cadeia produtiva global de alimentos? Conheça o FOOD11!

Deixe um comentário aqui =D