Como aproveitar o crescimento global com apenas um ETF?

Compartilhe com seus amigos:

Como aproveitar o crescimento global com apenas um ETF?

Muito se fala sobre a diversificação da carteira de investimentos para redução dos riscos dela. Você já pensou em expor seu capital a grandes empresas internacionais de setores voltados ao crescimento global — como tecnologia, health care, energia, entre outros?

Isso pode ser feito por meio de apenas um investimento! Estamos falando dos ETFs (exchange traded funds). Você ainda não conhece essa alternativa? Saiba que ela é bastante prática e, normalmente, acessível — mesmo para o investidor que não tem muito capital disponível para aportes.

Que tal conhecer mais sobre o assunto? Acompanhe este artigo e veja como você pode aproveitar o crescimento global investindo em apenas um ETF. Confira!

O que é um ETF?

Os ETFs — também conhecidos como fundos de índice — são fundos de investimentos negociados na bolsa de valores. O principal objetivo desse tipo de fundo é espelhar o desempenho de um índice de referência do mercado.

Como em qualquer fundo de investimento, trata-se de uma modalidade de investimento coletivo em que, para participar, é preciso adquirir suas cotas. O patrimônio é administrado por um gestor profissional, que se encarrega de investir nos ativos que integrarão a carteira do fundo.

Para cumprir com a finalidade do ETF, é comum que o gestor escolha os mesmos ativos que integram a carteira teórica do índice escolhido. Por conta disso, os ETFs são considerados fundos de gestão passiva, em que não é necessário superar o índice espelhado, apenas acompanhá-lo.

O que é um índice de referência?

Um índice de referência, por sua vez, é um indicador que mede a performance de um determinado setor da economia ou de um grupo de ativos. Por exemplo, o Índice Bovespa (Ibovespa) mede o desempenho das empresas mais negociadas na B3 — a bolsa de valores brasileira.

Muitos ETFs estão atrelados a índices internacionais, como o S&P 500 (Standard and Poor’s 500), o Dow Jones Industrial Average, Nasdaq Composite, entre outros. E podem revelar oportunidades de ter sua carteira exposta a ativos estrangeiros.

Como um ETF funciona?

O funcionamento de um ETF é muito semelhante ao de um condomínio. Existe a figura do síndico, representada pelo gestor, que realiza a compra e venda dos ativos do fundo. E a dos condôminos, que seriam os cotistas, e ficam responsáveis pelo pagamento das taxas existentes.

O investimento em ETFs é feito diretamente na bolsa de valores e as cotas podem ser adquiridas como se fossem ações. Assim, cada fundo possui um código de negociação próprio que precisa ser digitado em seu home broker no momento de adquirir suas cotas.

Geralmente, o ganho do investimento em ETFs se dá quando as cotas valorizam. Porém, existem alternativas estrangeiras que fazem a distribuição de lucros em forma de dividendos. Já no mercado nacional os ETFs reinvestem automaticamente seus lucros, aumentando seu patrimônio.

Quais as suas vantagens?

Dentre as principais vantagens de investir em ETFs está a diversificação que eles proporcionam. Como visto, o portfólio desses fundos é composto pelos ativos que formam a carteira teórica do benchmark escolhido. Assim, seu capital estará exposto a uma cesta de investimentos.

Logo, investir em ETF se torna mais fácil e prático que buscar ações de cada empresa que compõe um índice, por exemplo. A quantia financeira também costuma ser menor em relação àquela que seria necessária para adquirir diversos papéis individualmente.

Outro benefício é a possibilidade de você se expor aos mercados internacionais. Dessa maneira você pode se proteger contra a desvalorização do real e eventuais turbulências na economia nacional. Isso porque muitos ETFs são negociados em dólar e são compostos por ativos estrangeiros.

Assim, quando a cotação do real diminui, você ganha pelo dólar. Isso significa que as perdas experimentadas com ativos nacionais negociados em reais poderão ser compensadas com os ganhos obtidos com a valorização do dólar ou dos papéis que compõe a carteira do ETF, por exemplo.

Como aproveitar o crescimento global com apenas um ETF?

Depois de ver o conceito de ETF, seu funcionamento e vantagens, chegou o momento de conhecer como aproveitar o crescimento do mercado internacional por meio de uma única modalidade de investimento.

Se a alternativa faz sentido para sua estratégia financeira, vale a pena conhecer o único ETF que recebeu medalha de ouro no ranking da Morningstar — empresa líder no fornecimento de pesquisa independente de investimento.

Estamos falando do ETF Vanguard Total World Stock (mais conhecido pela sigla VT). Esse fundo de índice recebeu a maior nota da Morningstar — demonstrando capacidade de retorno que excede o seu grau de risco, embora não o elimine. 

Esse é um fundo que busca espelhar a performance do FTSE Global All Cap Index — um benchmark estrangeiro que mede o desempenho de ações de grandes empresas negociadas em mercados desenvolvidos e emergentes ao redor do mundo.

Logo, é uma oportunidade para expor seu capital a empresas que contribuem para o crescimento global. É o caso da Apple, Microsoft, Google (Alphabet), Amazon, Facebook, Tesla, Berkshire Hathaway, Nvidia, JPMorgan Chase, Johnson & Johnson e milhares de outras companhias.

Além disso, estão presentes em sua carteira ações de empresas dos Estados Unidos, Japão, Hong Kong, Reino Unido, Canadá, França, Suíça, Alemanha, Taiwan, Austrália, Brasil e diversos países. Assim, o ETF promove bastante diversificação com exposição a ativos financeiros do mundo todo.

Como investir nesse ETF?

Ao chegar até aqui você deve estar curioso sobre como investir no Vanguard Total World Stock (VT). Como se trata de um ETF estrangeiro, o investimento precisa ser feito nas bolsas em que ele é negociado — no caso, na NYSE Arca ou Nasdaq (duas bolsas norte-americanas).

Isso demanda que você abra uma conta em uma corretora de valores internacional, envie dinheiro para o exterior e faça o câmbio entre as moedas. Porém, caso você não queira lidar com essa burocracia, existe a possibilidade de investir em ETFs nacionais que espelham índices estrangeiros.

Por exemplo, o USTK11 é um ETF que pode ser encontrado na B3 que replica um índice com mais de 350 empresas de tecnologia — muitas delas também estão na carteira do Vanguard Total World Stock (VT). A depender de seu objetivo, esse e outros ETFs podem ser alternativas.

Agora você já sabe como um único ETF pode proporcionar a diversificação de sua carteira, expondo seu portfólio ao crescimento global. Contudo, não se esqueça de avaliar o seu perfil de investidor e objetivos financeiros antes de tomar suas decisões de investimento.

Gostou deste conteúdo? Aproveite e confira também um passo a passo completo para começar a investir em ETFs!

Deixe um comentário aqui =D