Índice no mercado financeiro: o que significa e qual a relação com os ETFs?

Compartilhe com seus amigos:

Índice no mercado financeiro: o que significa e qual a relação com os ETFs?

Quem investe — ou pensa em investir — precisa entender alguns conceitos e saber acompanhar o desempenho dos seus investimentos. Nesse sentido, conhecer o que significa índice no mercado financeiro é fundamental para auxiliar suas análises e decisões.

Além disso, alguns investimentos utilizam os índices do mercado como benchmark. É o caso dos ETFs (exchange traded funds), que visam ter um desempenho que acompanha o indicador de mercado escolhido. Nesse caso, entender o termo se torna ainda mais importante.

Por isso, neste conteúdo, você entenderá o que significa índice no mercado financeiro e qual a relação dele com os ETFs. Não perca!

O que significa índice no mercado financeiro?

Os índices do mercado financeiro são indicadores de desempenho usados como referência para avaliar os movimentos da economia. Eles permitem ter uma visão ampla sobre um cenário específico de modo objetivo e quantitativo.

Para tanto, os indicados resultam de estatísticas oficiais, com cálculos realizados, normalmente, por ponderamentos e com o auxílio da tecnologia. Com isso, permitem que seja possível fazer uma análise do que está acontecendo em um determinado contexto e período.

Assim, quem analisa esses índices pode projetar situações econômicas futuras com maior clareza ou avaliar resultados. Cabe ressaltar que essa observação deve ser feita de tempos em tempos, para permitir o monitoramento de suas variações.

Dessa forma, os investidores podem utilizar os indicadores para acompanhar de perto o desempenho de um fundo de investimento ou da sua própria carteira, por exemplo.

Qual o papel dos índices no mercado?

Como você viu, uma das principais funções dos índices é servir como um termômetro do mercado financeiro. Dessa maneira, um investidor de renda variável consegue, por exemplo, se manter informado sobre as variações da bolsa pela cotação do índice.

Além de servir como indicador da situação do mercado, como você viu, eles também servem de benchmark para carteiras de fundos de investimento ou portfólio dos investidores. O motivo para isso é que os índices representam as tendências de um grupo de ativos específico.

Logo, eles podem ser usados como parâmetro para avaliação de desempenho. Outro ponto importante dos índices é inspirar a criação de ETFs. Por meio deles, os investidores conseguem acompanhar a carteira teórica do indicador.

Qual a relação do índice com os ETFs?

Agora que você sabe o que são e como funcionam os índices, fica mais fácil entender a relação deles com os ETFs. Esse tipo de fundo de investimento também é conhecido como fundo de índice, tendo suas cotas negociadas na bolsa de valores.

No mercado financeiro, o ETF representa um veículo de investimento que investe em um conjunto de ativos que compõem um índice de referência. Logo, é possível encontrar ETFs de ações, criptomoedas, títulos de renda fixa, entre outros.

Ademais, o ETF não precisa seguir um índice nacional, pois existem também indicadores estrangeiros que podem servir de referência. Portanto, a principal característica dos ETFs é investir de acordo com a carteira teórica do índice escolhido.

Como a meta do ETF não é superar o benchmark, mas sim ficar próximo dele, não acontecem tantas movimentações de compra e venda de ativos. Por isso, normalmente a gestão dos fundos de índice é passiva.

Essa característica reflete nos custos com taxa de administração do fundo, que normalmente são mais baixos devido à gestão passiva.

Quais os principais índices usados pelos ETFs?

Depois de entender a relação do índice com os ETFs, vale conhecer alguns indicadores do mercado que são comumente usados por esses fundos. Assim, você pode escolher aqueles mais adequados ao seu perfil e objetivos.

Confira!

IMA-B

O Índice de Mercado Anbima (IMA-B) replica o desempenho dos títulos do Tesouro IPCA. Assim, o objetivo desse índice é acompanhar o comportamento médio dos títulos públicos oferecidos pela plataforma do Tesouro Nacional que estejam ligados à inflação.

Existem ETFs no mercado brasileiro que acompanham esse índice. Por essa característica, eles podem ser interessantes para quem deseja se expor às variações desses títulos públicos por meio da bolsa de valores. Isso permite buscar rendimentos superiores à inflação.

Ibovespa

O Ibovespa é o índice mais importante da bolsa brasileira. Também chamado de IBOV, é composto pelas empresas de maior volume financeiro de negociação na B3 e de maior capitalização do mercado.

Na prática, o peso de cada companhia varia na carteira teórica do índice e a pontuação do portfólio é definida ao final de cada pregão. Além disso, a média é calculada de acordo com a performance dos papéis.

Ou seja, é considerada a rentabilidade de cada ação e a participação que ela teve na carteira do IBOV. São esses fatores que determinam a queda ou alta diária do índice, como divulgado pelos noticiários.

SMLL

A carteira teórica do Índice Small Caps é formada pelas empresas de menor capitalização da bolsa. Ele mostra o impacto das oscilações nos preços dos ativos e da distribuição de dividendos. Por isso, é considerado um índice de retorno total.

Não fazem parte do SMLL empresas que estejam em processo de recuperação judicial ou extrajudicial. Também é necessário ter ações com preço acima de R$ 1 e estar presente na maior parte dos pregões.

Dessa forma, quem deseja investir nas menores empresas da bolsa de valores pode procurar um ETF que replique a carteira teórica desse índice.

S&P500

Como falamos, os ETFs não precisam, necessariamente, acompanhar um índice do mercado nacional. O S&P500 é um exemplo de índice estrangeiro — sendo o principal indicador do mercado dos Estados Unidos.

Ele acompanha as 500 empresas mais negociadas nas bolsas norte-americanas. Esse índice surgiu em 1957 e a Standard & Poor’s é a empresa responsável pelo cálculo do índice. A maior parte da carteira do indicador é composta por companhias de alta capitalização.

Assim, o uso de índices nos ETFs também permite a diversificação de investimento pelo mercado internacional. Afinal, é possível espelhar indicadores do exterior e se expor a ativos de outros países, sem precisar sair do Brasil.

Além desses, existem muitos outros índices no mercado financeiro. Se o tema faz sentido para sua estratégia de investimento, vale se aprofundar e seguir seu aprendizado.

Agora você já sabe o que significa índice no mercado financeiro e entendeu que eles podem ajudar quem investe a para avaliar o desempenho da carteira e saber o que esperar de um ETF. Porém, antes de investir com foco em um determinado índice, não deixe de considerar seu perfil e objetivos, combinado?

E você, conhece outro índice do mercado financeiro que não foi citado nesse post? Deixe o seu comentário!

Deixe um comentário aqui =D