7 Vantagens de ter investimentos internacionais na sua carteira!

Compartilhe com seus amigos:

7 Vantagens de ter investimentos internacionais
na sua carteira!

Na hora de compor a carteira de investimentos, muitas pessoas focam em classes diferentes, mas deixam o dinheiro exposto apenas ao mercado interno. Para ter uma diversificação verdadeira, vale a pena considerar os investimentos internacionais no portfólio.

Com alternativas que são facilmente acessíveis pela bolsa brasileira, essas são oportunidades que trazem benefícios em relação ao rendimento, ao risco e ao aproveitamento de condições diferentes. Portanto, é interessante saber o que você pode alcançar com essa estratégia.

A seguir, descubra quais são 7 vantagens dos investimentos internacionais e veja o que eles podem fazer pela sua carteira!

1. Descorrelação dos mercados

Ao decidir como investir é preciso analisar a correlação. Ela serve para medir o quão conectados e dependentes são dois ou mais investimentos ou mercados. Quando há uma correlação positiva forte, os investimentos caminham para a mesma direção diante de uma condição.

Já quando a correlação é negativa, os resultados caminham em direções diferentes. No caso dos investimentos internacionais, aproveita-se a descorrelação existente entre o mercado interno e o mercado externo.

Isso significa que uma crise interna do mercado brasileiro provavelmente não causará perdas no mercado internacional. Logo, aproveitar esse movimento oposto é uma forma de diversificar seus riscos e equilibrar a carteira.

2. Redução da dependência de condições internas

Citando a diversificação, é interessante fazer investimento na carteira internacional porque, dessa forma, não é preciso ficar limitado ao desempenho do mercado interno. Em vez disso, seu dinheiro
renderá também segundo os movimentos externos.

Isso é especialmente importante diante de crises políticas e econômicas — que são comuns no mercado brasileiro. Elas podem afetar intensamente o resultado do investimento na renda variável e até da renda fixa.

Se parte do seu dinheiro estiver voltada para o exterior, é possível equilibrar parte das perdas e dos ganhos. Assim, há como reduzir impactos indesejáveis. Essa também é uma forma de evitar que o cenário interno controle todo o desempenho do seu portfólio.

Com certo grau de exposição externa, há como desatrelar parte dos seus resultados do mercado brasileiro. Logo, existem novas possibilidades ao quebrar a dependência da sua carteira em relação às condições internas.

3. Exposição às oscilações do câmbio

Os investimentos internacionais também são positivos porque permitem que você exponha seu patrimônio às flutuações de câmbio. Considerando que a moeda brasileira historicamente tem menos força que certas moedas estrangeiras, como o dólar, essa é uma característica interessante.

Dolarizando a carteira, uma possível alta na moeda norte-americana poderá lhe trazer mais ganhos.
Afinal, levará a um aumento no rendimento obtido. Assim, é um cuidado especialmente importante para quem tem gastos dolarizados.

Além disso, a exposição ao câmbio pode ocorrer com foco na proteção da sua carteira de ações. Ao investir no exterior, você pode fazer hedge porque o dólar tem correlação negativa com a bolsa de valores brasileira.

4. Possibilidade de investir nas maiores empresas do mundo

Investir no exterior também significa ter a chance de participar dos resultados de grandes empresas, ainda que indiretamente. Elas não são negociadas diretamente na bolsa brasileira, então o foco internacional permite que o seu patrimônio esteja exposto a outros negócios além dos nacionais.

Nesse sentido, é possível acessar setores e mercados que não são muito desenvolvidos no Brasil ainda. Um exemplo envolve o mercado de tecnologia — um dos maiores do mundo e que oferece possibilidades com empresas internacionais de grande desempenho.

Vale considerar que algumas das maiores companhias mundiais fazem circular mais capital do que todas as negociações na bolsa brasileira. Assim, há muito potencial ao acessar negócios de maior
capitalização em outros países.

5. Diluição de riscos ao longo do tempo

Como você viu até aqui, os investimentos internacionais são especialmente importantes para diversificar a carteira. Na prática, essa estratégia pode ajudar a diluir os riscos ao longo do tempo. Afinal, você evita que todo o portfólio esteja exposto aos mesmos perigos.

Ao dividir seu patrimônio em diferentes investimentos, questões econômicas podem ter efeitos pontuais — e não afetar toda a sua carteira. Além disso, é possível que a perda em um investimento seja compensada pela valorização em outro, como vimos no caso do dólar e da bolsa.

Se a bolsa brasileira cai e a cotação do dólar aumenta, você pode ter perdas em uma parte do
portfólio e ganhos em outra. Se todos os recursos estivessem concentrados nas mesmas condições ou no mesmo setor, a menor modificação poderia causar perdas significativas.

6. Aumento do potencial de ganhos da carteira

Ao mesmo tempo em que existe a chance de diluir os riscos com os investimentos internacionais, eles podem ajudar a aumentar os ganhos. Com eles na carteira, portanto, existe a chance de rentabilizar o portfólio e alcançar um desempenho mais interessante.

A exposição ao mercado internacional e condições favoráveis no cenário externo podem levar a uma valorização dos ativos, mesmo que o cenário interno não seja tão atraente. Além disso, mercados mais desenvolvidos costumam se recuperar mais rapidamente de crises.

Logo, você pode se expor a resultados mais robustos, obtendo lucros com grandes empresas mundiais. Não menos importante, há o impacto da variação cambial — especialmente diante de uma desvalorização do real.

7. Diversidade de investimentos disponíveis

Por fim, outro benefício de expor seus recursos ao mercado externo é que há diversos tipos de
investimentos internacionais disponíveis. Portanto, diferentes perfis e estratégias podem ser contemplados — o que facilita a escolha.

É possível, por exemplo, investir diretamente nos mercados externos, abrindo conta em uma instituição estrangeira e fazendo a conversão cambial. Porém, também existe a chance de realizar investimentos internacionais pela bolsa brasileira — de forma mais prática e acessível.

Uma das alternativas é o ETF (fundo de índice) que acompanhe indicador internacional. Ao adquirir as cotas, você aloca seus recursos de forma indireta nos ativos do exterior. O investimento ocorre na bolsa de valores, em reais e de maneira prática.

Essa é uma escolha que pode trazer facilidades, pois não exige etapas extras e nem aumenta a burocracia. E existem muitas opções de ETFs, permitindo que você escolha aqueles que melhor se adéquam ao seu perfil e objetivos.

Após conferir essas 7 vantagens, é possível notar que os investimentos internacionais são oportunidades que podem ser atraentes e diversificadas. Então avalie a opção de investir em ETFs de indicadores internacionais para se expor aos resultados de outros países sem sair do Brasil.

Para acompanhar novidades e oportunidades do mercado, assine nossa newsletter!

Deixe um comentário aqui =D