Entenda como investir em empresas de tecnologia

Compartilhe com seus amigos:

Entenda como investir em empresas de tecnologia

O mercado de inovação digital é um dos setores que mais cresce no mundo. Nesse contexto, investir em empresas de tecnologia tem sido uma estratégia muito utilizada por quem acredita que esse segmento pode trazer potencial de ganhos para uma carteira de investimentos.

Enquanto isso, em um cenário cada vez mais competitivo, é comum ver organizações procurando apresentar novas soluções. Desse modo, o mercado tem conseguido movimentar grandes quantias financeiras — o que pode ser uma oportunidade para investidores.

Você se interessa pelo setor de tecnologia? Então continue a leitura! Neste artigo você entenderá mais sobre o segmento e descobrirá como investir em empresas de tecnologia. 

Confira!

Por que investir em empresas de tecnologia?

Você consegue se lembrar de quando a tecnologia não fez parte da sua vida? O mundo digital avançou tão rapidamente que, hoje, é impossível imaginar um cenário em que as empresas diminuam seu ritmo criativo.

Dessa forma, o setor tecnológico a cada ano consegue movimentar mais capital e impactar novas pessoas. Assim, ele pode trazer oportunidades interessantes para os investidores que confiam em seu potencial de crescimento.

No mercado dos Estados Unidos, por exemplo, as big techs — como são chamadas as maiores empresas de tecnologia — são responsáveis por uma parcela considerável da economia. Além disso, o valor de mercado delas é superior ao PIB de muitos países considerados potências.

No Brasil, a tendência também existe — guardadas as devidas proporções. Em 2021, por exemplo, a expectativa é que empresas de tecnologia representem cerca de 5% de todo o PIB nacional. Assim, pode fazer sentido na sua estratégia de longo prazo considerar o investimento nesse setor.

Quais as principais empresas de tecnologia do mercado?

Como você viu, as empresas de tecnologia estão crescendo em todo o mundo. No entanto, o mercado norte-americano ainda é o líder global nesse nicho. Lá, existe inclusive uma sigla responsável por designar as 5 principais big techs do país: FAANG.

Saiba quais são!

Facebook (Meta)

Com início em redes sociais, o Facebook se expandiu para se tornar uma das maiores empresas do mundo. Liderados por Mark Zuckerberg, a organização — hoje chamada Meta — também controla o Instagram e o WhatsApp, além de buscar trazer novas tendências de inovação.

Amazon

Referência quando se fala em e-commerce, a Amazon é uma das principais empresas globais quando se fala em big techs. Além do varejo, a instituição traz novidades de forma constante para o mercado. 

Apple

A Apple é uma das principais empresas internacionais no mercado de eletrônicos. Além de smartphones, a empresa produz computadores, tablets e uma série de outros acessórios tecnológicos.

Netflix

O mercado de streamings tem se tornado muito popular. E uma das responsáveis por esse crescimento é a Netflix que, com crescimento rápido, estimulou o surgimento de diversos serviços concorrentes.

Google (Alphabet)

Por fim, a última letra do FAANG representa o Google — da holding Alphabet. A empresa é responsável pelo principal mecanismo de buscas da internet e também fornece muitos serviços ao usuário, tendo papel importante em diversos países.

Como investir em empresas de tecnologia?

Você viu que as empresas de tecnologia têm crescido em todo o mundo. Por isso, o investimento pode atrair diversos investidores brasileiros que desejam encontrar novas oportunidades. A decisão sobre investir nelas, no entanto, é individual e deve ser analisada com cuidado. 

Caso decida que isso faz sentido na sua estratégia, é preciso entender como investir. Veja três alternativas para aportar no setor de tecnologia de maneira simples!

Ações 

A primeira alternativa para investir em empresas de tecnologia é por meio do mercado de ações. Esse processo consiste em comprar frações do capital social de uma empresa. Dessa forma, você se tornará um acionista da mesma.

Como ponto positivo, esse investimento possibilita o pagamento de proventos — como os dividendos. Os investidores podem receber benefícios e partes do lucro da empresa, podendo obter renda passiva.

É possível investir em ações de companhias tecnológicas brasileiras. Mas, para comprar ativos das big techs, é preciso ter uma conta de investimento nos respectivos países. No caso das FAANG, por exemplo, todas estão listadas nas bolsas dos Estados Unidos. 

Desse modo, seria preciso investir diretamente por lá e enfrentar altos custos e burocracia. A principal delas estará no processo de transferência de dinheiro — pois, além da conversão, é possível que exista a incidência de taxas como o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF).

BDRs

Se você deseja investir em empresas globais de tecnologia sem sair do Brasil, pode contar com os brazilian depositary receipts (BDRs). Essa modalidade consiste em certificados que representam um ativo internacional. Assim, funcionam como um investimento indireto.

Nesse contexto, uma instituição depositária brasileira compra esses ativos no mercado internacional e os mantêm sob custódia. Após esse processo, ela emite certificados que poderão ser comprados por investidores brasileiros na bolsa de valores — a B3. 

Contudo, é preciso estar atento à liquidez dos BDRs. Por de tratar de uma alternativa nova na bolsa, a maior parte dos BDRs têm liquidez limitada.

ETFs

Além das duas alternativas acima, também é possível investir em empresas de tecnologia por meio de exchange traded funds (ETFs). Os fundos de índice, em português, se caracterizam por buscar replicar o resultado de um indicador.

Os índices representam uma carteira teórica de ativos e apontam para o mercado se há uma alta ou baixa nas empresas que o compõem. Eles podem ser temáticos — ou seja, indicar resultados de acordo com um nicho específico.

No mercado brasileiro, uma das alternativas temáticas do ramo da tecnologia é o Investo MSCI US Technology — identificado pelo ticker USTK11. O seu objetivo é replicar o Vanguard Information Technology (ETF VGT).

Esse é um dos principais índices globais no setor de big techs. O ETF dos EUA investe em mais de 300 empresas de tecnologia. E o ETF USTK11, negociado no Brasil, é espelho desse fundo de índice internacional. Logo, com ele, você pode ter exposição ao mercado mundial.

Dessa forma, ao comprar cotas desse fundo, o investidor consegue diversificar sua carteira com as principais empresas de tecnologia. Além disso, o ETF dolariza o seu patrimônio, já que segue índice norte-americano. Assim, pode ser uma estratégia para diversificar o portfólio e ter proteção cambial.

Investir em empresas de tecnologia pode trazer muitas vantagens para o seu portfólio. Como vimos, é possível realizar o investimento de diversas maneiras. Então, se você busca diversificação e exposição a esse mercado de maneira simples e sem sair do Brasil, pode se interessar pelos ETFs.

Tem interesse no investimento em big techs? Então conheça melhor o USTK11!

Deixe um comentário aqui =D