O que são ETFs temáticos? Entenda mais sobre eles!

Compartilhe com seus amigos:

O que são ETFs temáticos? Entenda mais sobre eles!

Cada vez mais pessoas têm se interessado por educação financeira e também por investimentos na bolsa de valores. Entre as alternativas que vêm ganhando popularidade estão os fundos de índices, mais conhecidos por ETFs — você sabe o que são eles?

Esse tipo de fundo tem crescido bastante no Brasil — trazendo, inclusive, oportunidades em setores específicos. Os chamados ETFs temáticos, por exemplo, podem contribuir com estratégias para diversificar investimentos em determinados nichos.

Contudo, é preciso conhecer o funcionamento e características dessa modalidade antes de tomar a decisão de acrescentá-lo à sua carteira. Se você quer saber mais sobre o assunto, acompanhe este post!

A seguir você entenderá o que são os ETFs temáticos e saberá por que a alternativa pode ser interessante para o seu portfólio. Confira!

O que são ETFs?

Os exchange traded funds, ou ETFs, também são conhecidos como fundo de índices. Eles são uma categoria de fundos de investimentos que têm o objetivo de replicar a performance de um indicador do mercado financeiro.

Na bolsa brasileira, existem dezenas de índices que medem o desempenho de diferentes setores ou aspectos do mercado. Esses parâmetros funcionam como uma carteira de investimentos teórica que agrega os principais ativos do segmento que acompanha.

O Ibovespa, por exemplo, é um índice que calcula a média de desempenho das ações de empresas mais negociadas na B3, a bolsa brasileira. Por isso, é considerado o termômetro mais importante do mercado acionário no Brasil.

Mas o índice não é um investimento. Ele é uma carteira teórica. Dessa forma, se você quisesse investir nos ativos segundo a composição dele, precisaria comprar ações de cada uma das empresas listadas. É exatamente isso que um ETF faz para que o investidor não tenha que fazer.

Assim, comprar cotas de um fundo de índice equivale a expor seu capital ao indicador de uma forma prática. Se o índice tiver uma performance positiva, então o ETF também terá. O contrário é igualmente verdadeiro: em caso de queda do índice, as cotas sofrerão desvalorização.

Como os ETFs funcionam?

Por se tratar de um tipo de fundo de investimento, os ETFs têm características muito semelhantes aos outros fundos. No entanto, quem quer investir em ETFs encontrará detalhes que merecem atenção, inclusive para validar uma decisão de aporte. 

Confira mais a seguir!

Benchmark

Você já entendeu que um ETF é um fundo que replica um índice. Esses índices, para fins de performance de investimento, são chamados de benchmark. Assim, o benchmark do ETF BOVA11, por exemplo, é o Ibovespa. Ou seja, o fundo reproduz o desempenho do principal índice da bolsa brasileira.

Gestão

Outros fundos também trabalham com benchmarks, mas a gestão deles costuma ser ativa. Isso significa que o intuito é de superar o benchmark. Enquanto isso, ETFs são fundos de gestão passiva, pois buscam apenas acompanhar o índice de referência.

Por regra, um ETF deve aplicar 95% de seu patrimônio em ativos do benchmark. Os outros 5% podem ser alocados conforme as especificações do fundo. Desse modo, a composição não costuma ficar muito diferente do indicador.

Uma vantagem é a redução da taxa de administração na comparação com outros fundos. Ademais, a transparência na estratégia também é maior, já que você conhece todas as regras de investimento. Afinal, são as mesmas do índice. Como desvantagem, está o fato de que não há busca por rentabilidade acima do benchmark.

Taxas e tributos

Talvez uma das maiores vantagens de um fundo de índice é a facilidade de acesso a baixo custo. Por se tratar de um fundo de gestão passiva, ETFs costumam ter os menores custos com taxas de administração do mercado. 

Além disso, diferentemente de outros fundos, eles não têm imposto come-cotas — que subtrai uma vez por semestre cotas do investidor para o pagamento do Imposto de Renda. O aporte também é isento de IOF, mas apresenta cobrança de Imposto de Renda.

O que são ETFs temáticos?

Agora está claro o que são ETFs e suas principais características. Então vale a pena considerar um conceito que tem despertado interesse em muitos investidores: ETFs temáticos. 

Como se pode imaginar, esses fundos de índice consideram a composição de seu portfólio por temas. 

Mas você viu que é regra de um ETF replicar um índice, certo? Portanto, o que acontece é que ETFs temáticos são aqueles que seguem índices específicos de um mercado ou nicho. É possível citar como exemplo os mercados de:

  • blockchain e criptomoedas;
  • engenharia genética;
  • negócios sustentáveis;
  • tecnologia etc.

Imagine que você deseje expor estrategicamente sua carteira ao mercado global de tecnologia. Uma alternativa seria comprar ações de empresas do segmento. Porém, outro meio prático e ainda mais específico é investir em um ETF de tecnologia.

Nesse caso, faz sentido buscar um ETF temático, pois ele tem foco diretamente no nicho que você deseja. Ao investir em um ETF amplo, como o que replica o Ibovespa, a participação de empresas de tecnologia estará diluída junto com diversos outros segmentos.

Quais as vantagens de um ETF temático?

A vantagem notável de investir em ETFs gerais é a diversificação que eles podem trazer para sua carteira. Porém, um ETF temático torna o aporte ainda mais estratégico, porque expõe seus investimentos a setores específicos.

Assim, o investidor tem a oportunidade de montar uma carteira simplificada, mas concentrada nos setores nos quais ele acredita — ampliando as possibilidades de ganhos. Através dos fundos de índice também é possível ter uma amplitude global sem tirar dinheiro do Brasil. 

Por exemplo, o setor de tecnologia, já mencionado, é mais forte em outros países, como nos Estados Unidos. Mas existem ETFs negociados no Brasil que replicam índices internacionais. Com isso, as possibilidades de composição tática de um portfólio são potencializadas com a diversidade de segmentos disponíveis por ETFs.

Porém, é importante mencionar que ETFs são um tipo muito específico de investimento e merecem cuidado na hora de investir. Sejam focados em renda fixa ou variável, eles apresentam a volatilidade da bolsa e requerem conhecimento e um planejamento financeiro bem estruturado.

Agora que você sabe o que são ETFs temáticos, faça uma avaliação cuidadosa da sua vida financeira. Eles podem ser uma opção interessante de diversificação, mas lembre-se de que há riscos envolvidos. Logo, é fundamental estudar para descobrir as melhores estratégias para você.

Gostou do conteúdo? Que tal descobrir agora os benefícios de expor seu capital a empresas e economias estrangeiras? Continue conosco e confira 5 vantagens de investir no exterior!

Deixe um comentário aqui =D