Por que todo investidor terá pelo menos 1% de cripto na carteira no futuro?

Compartilhe com seus amigos:

Por que todo investidor terá pelo menos 1% de cripto na carteira no futuro?

Desde que o primeiro criptoativo do mercado surgiu, o interesse dos investidores nesse mercado disparou. Nos Estados Unidos, por exemplo, 16% dos norte-americanos já tinham negociado criptomoedas em algum momento, até 2021. Se esse movimento se fortalecer, os ativos do mercado cripto podem integrar a carteira de boa parte dos investidores no futuro.

Isso ocorre porque, apesar dos ciclos de alta e de baixa desse tipo de investimento, existe um potencial de crescimento com o tempo. Logo, criptomoedas e outros ativos digitais tendem a continuar chamando a atenção dos investidores.

Quer entender mais sobre esse tipo de investimento? Continue a leitura e compreenda por que ele pode ser relevante para a sua estratégia!

Por que é importante ter ativos diferentes na carteira?

Antes de pensar em como alocar seus recursos em cripto, vale saber que essa decisão envolve a realização de investimentos alternativos. Essas são possibilidades recentes e que ainda não estão totalmente consolidadas — ao contrário de outros investimentos tradicionais.

Em geral, investir desse modo permite explorar o movimento de maturação do mercado, caso ele se concretize. Com isso, o investimento que hoje é considerado alternativo pode se tornar uma opção mais estabelecida no futuro.

Se essa evolução realmente acontecer, quem investiu em um momento inicial tende a aproveitar retornos maiores do que quem investe após a consolidação. Escolher ativos alternativos, portanto, pode ajudá-lo a rentabilizar sua carteira e aumentar o potencial de ganhos da sua estratégia de alocação.

Quais as vantagens de diversificar com criptoativos?

Como você viu, investir em um mercado alternativo pode ser vantajoso e uma das possibilidades envolve o setor de criptoativos, como moedas digitais e outras opções de criptos. Ao realizar esse tipo de aporte, uma das vantagens se relaciona à obtenção de uma carteira de investimentos diversificada.

No geral, a diversificação conquistada com o investimento no mercado cripto pode ajudá-lo a obter dois benefícios principais: a redução do risco do portfólio e a otimização do retorno.

A diminuição do risco está associada, principalmente, à descorrelação dos criptoativos com outros investimentos tradicionais. Imagine uma situação de crise global, em que as bolsas mais importantes do mundo passam por quedas.

Nesse caso, os investimentos em cripto podem não sofrer os efeitos, já que eles são descentralizados e não integram o mercado financeiro tradicional. Logo, os ativos digitais não acompanham, necessariamente, os movimentos da economia.

Da mesma forma, os criptoativos podem manter os resultados diante da queda das moedas tradicionais. Assim, na medida certa, eles podem mitigar parte dos riscos do portfólio.

Além disso, como você viu, esse mercado é recente. Portanto, existe um potencial de crescimento, o qual pode estar relacionado ao avanço tecnológico. Se esse desenvolvimento realmente ocorrer, os investimentos tendem a se valorizar.

Desse modo, fazer o aporte em cripto poderá ajudá-lo a ampliar seu patrimônio no futuro — ainda que o investimento envolva uma pequena parte do seu capital, apenas.

Por investir em cripto via ETFs?

Até aqui, você entendeu como o investimento no mercado de criptoativos pode ajudar sua carteira. Agora, é preciso compreender como inclui-los na sua estratégia de alocação, considerando as alternativas disponíveis no mercado.

A princípio, existe a possibilidade de fazer o aporte direto. No entanto, os criptoativos não são regulamentados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Assim, a compra direta não tem a proteção da CVM.

Em vez disso, você pode fazer investimento por meio dos exchange traded funds (ETF) ou fundos de índice. O ETF é um veículo financeiro coletivo que tem como objetivo replicar a carteira teórica de um indicador de mercado.

Desse modo, o desempenho de um ETF é equivalente à performance do índice no qual ele se baseia. Entre as alternativas disponíveis no mercado, existem ETFs de criptoativos, que são baseados em indicadores compostos por essas opções.

Escolher esse tipo de investimento pode oferecer diversas vantagens, como a segurança operacional. Como os fundos são regulamentados pela CVM, você não corre risco de sofrer fraudes ou golpes financeiros, por exemplo.

Além disso, o fato de o ETF apresentar uma gestão passiva costuma fazer com que a taxa de administração dele seja menor que a de fundos ativos. Dessa forma, você tem um resultado alinhado com a média do mercado com menos custos, o que pode favorecer a rentabilidade do portfólio.

Ainda, há a praticidade de investimento. As cotas dos ETFs são negociadas na bolsa de valores e você pode comprá-las de modo semelhante à aquisição de ações.

Como o NFTS11 pode ajudá-lo a explorar o futuro do mercado cripto?

Agora que você sabe que o ETF é uma alternativa para aproveitar o mercado de criptoativos, é importante conhecer as opções do mercado. Um dos destaques é o NFTS11, um fundo de índice disponível na bolsa de valores brasileira (B3) que garante exposição às chamadas gamecoins.

Com a compra de cotas do NFTS11, portanto, você investe em tokens digitais que estão ligados ao segmento de mídia e de entretenimento.

Esse fundo replica o índice MVIS Crypto Media & Entertainment Leaders Index e permite fazer o investimento em reais. Ao mesmo tempo, o ETF oferece exposição cambial, pois acompanha o dólar americano.

Além disso, com o desenvolvimento, avanço e consolidação do metaverso, a tendência é que as gamecoins se tornem ainda mais importantes. É como se elas fossem as moedas do metaverso, por meio das quais diversas operações poderão ser realizadas.

Logo, investir antes que ocorra consolidação do segmento pode ser uma forma de fazer um aporte com custo baixo. Desse modo, você consegue aproveitar um possível salto de infraestrutura e valorização.

Antes de fazer o aporte, entretanto, é importante verificar se você tem uma tolerância ao risco que seja adequada e se os seus objetivos estão alinhados com esse tipo de investimento.

Além disso, costuma ser indicado limitar a exposição da carteira a criptoativos. Afinal, mesmo com uma porcentagem menor já é viável explorar o potencial desse setor, sem aumentar demais o risco da estratégia.

Como você acompanhou, o futuro do mercado de cripto traz possibilidades para diversificar e rentabilizar seu portfólio. Para acessar esses ativos por meio do mercado brasileiro, você pode recorrer aos ETFs com exposição global a índices de criptomoedas.

Gostou de conhecer essa alternativa? Aproveite para saber mais sobre o NFTS11 e veja como ele pode compor sua carteira!

Deixe um comentário aqui =D