Você sabe o que é e como funciona uma gestora de recursos?

Compartilhe com seus amigos:

Você sabe o que é e como funciona uma gestora de recursos?

O mercado financeiro é composto por diversos agentes — e parte deles pode ter impacto direto nos resultados obtidos pelos investidores. É por isso que, entre as possibilidades, é importante saber o que é uma gestora de recursos.

Esse tipo de empresa atua com fundos de investimento, mas também pode trabalhar com patrimônios individuais. Logo, ao conhecer quais são as responsabilidades da instituição, você entenderá melhor seu funcionamento e seu papel no mercado.

Na sequência, descubra o que é uma gestora de investimentos e como ela funciona!

O que é uma gestora de fundos?

A gestora de recursos é uma empresa que dispõe de estrutura para realizar o gerenciamento de ativos, conhecido como asset management. O foco está na gestão de recursos financeiros dos clientes que contratam o serviço ou portfólios, buscando gerar facilidade e praticidade ao investidor.

Além disso, o serviço atua tanto com os recursos de pessoas físicas quanto de pessoas jurídicas que desejam ter apoio profissional ao gerir seu patrimônio financeiro. O serviço oferecido por algumas gestoras também pode ser chamado de wealth management ou gestão de riquezas.

Ainda, as gestoras de fundos têm papel fundamental no avanço da acessibilidade de pequenos investidores ao mercado financeiro. Afinal, são as gestoras de fundos as responsáveis por gerir essa modalidade de investimento, dentro e fora da bolsa de valores.

Quem é o gestor de recursos?

Embora os termos sejam semelhantes, a gestora não representa o mesmo que o gestor. Afinal, a primeira é a empresa responsável pelo gerenciamento de recursos, enquanto o segundo é um profissional focado em colocar a estratégica em prática.

Ou seja, o gestor profissional é aquele quem faz as escolhas de investimento e executa as operações. Um gestor de fundo, por exemplo, movimenta o dinheiro do patrimônio desse veículo, de acordo com a estratégia definida.

Qual é o papel da gestora de recursos?

Já que o gestor profissional não se confunde com a gestora, o papel da instituição também é diferente do profissional que toma decisões. Na prática, a grande função da gestora de ativos é cuidar e direcionar os recursos de cada investidor.

Isso acontece por meio da atuação de profissionais qualificados, que ficam responsáveis por operar conforme os interesses e os objetivos dos investidores.

No atendimento individualizado, a gestora foca na gestão de fortuna de cada cliente, buscando aplicações financeiras e outros produtos que ajudem no alcance de objetivos.

Porém, como você viu, a gestora de investimentos também atua na gestão de fundos — garantindo que eles funcionem adequadamente. Você saberá mais sobre esses veículos adiante.

Além disso, a gestora é a responsável pelo relacionamento com o cliente. Uma gestora focada nos investidores brasileiros, por exemplo, deve ser capaz de atender às necessidades desse público e manter uma boa comunicação com ele.

Quais são os tipos de gestão que podem ser adotados?

Como visto, tanto a gestora quanto o gestor profissional são essenciais para o mercado financeiro. Em sua atuação, eles podem seguir duas possibilidades distintas: a gestão passiva ou a gestão ativa.

Na gestão passiva, o foco está em replicar ou alcançar um retorno que seja equivalente à média de um determinado indicador do mercado. Portanto, todas as decisões são tomadas para atingir um patamar específico ou chegar o mais próximo possível dele.

É o que acontece com os exchange traded funds (ETFs) ou fundos de índice. Eles replicam a carteira teórica de um índice e têm como objetivo alcançar o seu desempenho.

Já a gestão ativa visa superar um patamar de referência. Então existe uma atuação mais intensa por parte do gestor, que usa seus conhecimentos para reagir ao mercado e aproveitar as condições. A ideia é rentabilizar o patrimônio, conforme a estratégia definida.

Quais fundos podem ser geridos?

Como visto, uma das formas de atuação da gestora de investimentos no mercado financeiro é por meio dos fundos. Contudo, ela não se limita a eles. Existe, por exemplo, o serviço de family office, que faz uma gestão de patrimônio do investidor, de maneira ampla.

Ainda, é possível criar fundos exclusivos, por exemplo, considerando as necessidades de um grupo de investidores. Essas são opções específicas e individualizadas, atendendo a necessidades pontuais.

Porém, a gestora também pode desenvolver produtos de amplo alcance, que são oferecidos nas plataformas de instituições financeiras ou na bolsa de valores. É o caso da gestora de um ETF, que costuma apresentar a gestão passiva.

Portanto, a gestora não atua, necessariamente, apenas com os patrimônios dos clientes diretos. Ela pode estar à frente de produtos que atendem às necessidades de diversos investidores, com base em um gerenciamento profissional.

Qual é a importância de conhecer o papel da gestão?

Além de saber o que é a gestora, reconhecer como ela atua e qual é o papel do gestor pode ter grande influência nos resultados obtidos. Em investimentos coletivos, em especial, a atuação da gestão pode ser determinante para o desempenho. 

Sendo assim, conhecer como atua uma gestora permite identificar até que ponto ela é capaz de influenciar os resultados e trazer o retorno esperado. Ainda, vale destacar que, no caso da gestão passiva, como o ETF, o impacto da gestão pode ser um pouco menor. 

Afinal, as decisões não dependem apenas do conhecimento ou das análises do gestor sobre o balanço patrimonial ou outros indicadores. Porém, ainda assim, é necessário contar com uma boa gestora para ter segurança de que as melhores práticas estão sendo adotadas nesse processo.

Como escolher uma gestora de recursos?

Sabendo que o papel da gestora pode ser crucial para seus resultados, a escolha também deve ser feita com base em critérios objetivos. O primeiro deles é garantir que a instituição seja registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e seja aderente à Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Também é importante avaliar a qualificação do time e entender quais são os serviços prestados. Uma gestora de ETF, por exemplo, foca na réplica da carteira de um indicador, enquanto existem gestoras direcionadas à atuação individual.

Para o foco em ETF, vale a pena conferir as informações do fundo, como índice replicado, estratégia aprovada e características gerais de funcionamento. Assim, é possível definir se a gestora tem uma atuação compatível com as suas expectativas, por exemplo.

Como você viu, saber o que é a gestora de recursos e como ela atua pode ajudar em suas decisões e afetar o desempenho da sua carteira. Por isso, é importante escolher com critério antes de deixar o gerenciamento de parte do seu capital sob responsabilidade dos profissionais.

Quer contar com a atuação de uma gestora ao escolher alternativas para o seu portfólio? Confira os fundos de índice da Investo!

Deixe um comentário aqui =D