Você sabe o que são os investimentos fatoriais?

Compartilhe com seus amigos:

Você sabe o que são os investimentos fatoriais?

Analisar o funcionamento e as características das alternativas disponíveis no mercado financeiro são práticas essenciais para fazer movimentações e alocações mais estratégicas. Nesse sentido, o método de investimentos fatoriais, baseado no modelo Fama French, pode colaborar.

Essa metodologia serve como uma maneira de avaliar o potencial que determinados ativos podem trazer para a carteira do investidor. Assim, é interessante conhecer as características da abordagem para saber como ela pode contribuir no seu planejamento.

Quer entender mais sobre investimentos fatoriais e o modelo Fama French? Neste artigo, você compreenderá essa metodologia e descobrirá como avaliar alternativas de investimento utilizando o método.

Acompanhe a leitura!

O que são investimentos fatoriais?

Investir em ativos de renda variável — especialmente em empresas listadas na bolsa de valores — costuma ser relevante para investidores que buscam novas oportunidades para rentabilizar a carteira no longo prazo. Contudo, essa estratégia também traz riscos — já que não há garantia de retorno positivo.

Dessa maneira, é fundamental fazer uma análise eficiente das alternativas disponíveis no mercado financeiro. Para tanto, o método de investimentos fatoriais — também conhecido como factor investing ou investimento em fatores — pode ser vantajoso.

 Nessa abordagem, o investidor não avalia apenas as características fundamentalistas do negócio ligado ao ativo de interesse. O objetivo é conhecer os fatores que também exercem determinada influência sobre ele — que podem ser macroeconômicos e de estilo, por exemplo.

No primeiro cenário, os fatores são aqueles que impactam o mercado de maneira ampla, como decisões políticas, inflação, taxas de juros e resultados de um setor da economia. Por sua vez, os fatores de estilo referem-se a aspectos mais específicos do ativo. 

A partir desse entendimento, o investidor adiciona novos elementos ao seu processo de avaliação. Dessa forma, é possível fazer movimentações mais estratégicas, reduzindo riscos e ampliando o potencial de retorno do portfólio de investimentos.

O que é o modelo Fama French?

Agora que você entendeu o conceito de investimentos fatoriais, é preciso saber como conduzir suas análises usando essa abordagem. Nesse sentido, o modelo Fama French está entre as alternativas de avaliação para o factor investing. 

Mas, antes de compreender o modelo, é interessante conhecer a história por trás do seu nome. O termo surgiu a partir da junção dos sobrenomes dos economistas Eugene Fama e Kenneth French, da Universidade de Chicago. 

Em conjunto, os estudiosos desenvolveram uma metodologia de análise com base em fatores predeterminados. O objetivo era permitir a precificação dos ativos e oferecer uma melhor visão acerca da relação entre risco e retorno. 

Quais são os fatores desse modelo?

Como você viu, o modelo Fama French é uma alternativa para fazer investimentos fatoriais. Assim, para usá-lo em sua estratégia no mercado financeiro, é preciso saber quais são os fatores que a abordagem monitora.

Confira!

Valor

O primeiro ponto da análise está no valor do ativo. Para encontrá-lo, o investidor precisa dos principais indicadores fundamentalistas da empresa que está avaliando — como preço sobre lucro e lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda). 

O objetivo permitir ao investidor conhecer esses números para entender se o preço de negociação dos ativos está condizente com os resultados da empresa. Caso a cotação esteja subvalorizada, por exemplo, as ações podem ter potencial de valorização no longo prazo. 

Qualidade

Após conhecer o valor, o investidor pode avançar para avaliar a qualidade do ativo. Esse fator é mais qualitativo em relação ao primeiro. Afinal, o foco é entender aspectos relativos à estratégia de administração da companhia. 

Para analisar a qualidade, também é interessante usar indicadores fundamentalistas como referência. Entre os principais, estão os números relacionados às dívidas do negócio e o retorno sobre patrimônio líquido (ROE).

Além disso, vale conhecer elementos que se vinculam à estratégia da organização. Portanto, o investidor pode analisar a capacidade dela em gerar retorno e sua governança corporativa, por exemplo. 

Tamanho

O porte da empresa é outro elemento importante na metodologia de investimentos fatoriais. Isso acontece porque companhias de menor capitalização costumam ter uma margem maior de crescimento do que as empresas líderes em seus respectivos segmentos.

Desse modo, os investidores podem avaliar o tamanho do negócio para fundamentar sua tomada de decisão. O modelo Fama French, por exemplo, costuma priorizar as small caps para a estratégia de investimentos. 

Volatilidade

O modelo dos estudiosos da Universidade de Chicago também leva a volatilidade em consideração. Nesse sentido, o foco está em ativos que possam estar menos suscetíveis às oscilações econômicas e do mercado financeiro. 

A busca por ações menos voláteis pode ser positiva para controlar os riscos do investimento. Dessa maneira, o investidor consegue aliar o potencial de retorno ao equilíbrio da carteira. 

Momento

Por último, o quinto fator de estilo do modelo Fama French se refere ao momento da empresa. Assim, a prioridade dessa análise está em ações que registraram um período de valorização ao longo dos últimos meses. 

Porém, é pertinente lembrar que é possível acontecer uma reversão na tendência. Ou seja, após um período de alta, o ativo pode se desvalorizar. Portanto, o ideal é que o investidor consiga alinhar esses elementos e monitorar o mercado regularmente para manter uma alocação estratégica de capital. 

Como fazer investimentos considerando essa estratégia?

Entendeu como funcionam os investimentos fatoriais e o modelo Fama French? Então vale saber como trazer essa abordagem para sua estratégia de investimento. Nesse sentido, além da análise fundamentalista de ações, você pode avaliar os ativos de acordo com os fatores do método.

Para facilitar a análise, é relevante usar gráficos comparativos. Por exemplo, como os investimentos fatoriais podem priorizar small caps, você pode comparar a valorização de uma empresa estrangeira e a performance de suas ações em relação ao S&P 500 — um dos principais índices de desempenho dos Estados Unidos.

Contudo, uma forma mais simples de utilizar essa estratégia é por meio dos exchange traded funds (ETFs). Eles consistem em um tipo de fundo de investimento de gestão passiva com negociação de cotas em bolsas de valores.

Na bolsa brasileira (B3), uma das alternativas é o SVAL11. Ele replica o desempenho do Vanguard S&P Small-Cap 600 Value (VIOV), que tem o S&P Small-Cap 600 Value (SP600V) como referência. 

O foco desse ETF, portanto, é permitir ao investidor exposição às small caps norte-americanas com potencial de desempenho acima da média do mercado. Assim, você pode internacionalizar seu capital e se expor aos investimentos fatoriais sem sair do mercado nacional.

Como você acompanhou, fazer investimentos fatoriais pode ser interessante para ampliar seu potencial de rentabilidade e equilibrar os riscos do seu portfólio. Portanto, vale utilizar o modelo Fama French para conduzir suas avaliações e considerar o investimento em ETF nessa jornada.

Quer saber mais sobre o SVAL11? Conheça as características desse fundo de índice!

Deixe um comentário aqui =D