Por que o número de ETFs na bolsa brasileira B3 está crescendo tanto?

Compartilhe com seus amigos:

Por que o número de ETFs na bolsa brasileira B3 está crescendo tanto?

Os fundos de índice estão se tornando cada vez mais populares entre os investidores. Até meados de 2021, 11 novos ETFs foram listados na B3, a bolsa de valores brasileira. Isso significa que existiam mais de 40 alternativas disponíveis para negociação. 

Desse total, 33 eram de renda variável (nacional e internacional) e 7 de renda fixa. Mas, por que o número de ETFs na bolsa brasileira tem crescido tanto no Brasil?

Com o objetivo de replicar um índice de referência, os ETFs podem ser uma boa opção para diversificação, pois englobam diversos ativos em um único investimento. Contudo, existem muitas outras razões para o sucesso dessa modalidade entre investidores. 

Neste artigo, você descobrirá os principais motivos pelos quais o número de ETFs listados na B3 esteja se tornando cada vez maior. Continue a leitura e saiba mais!

O que é um ETF?

ETF é a sigla para exchange traded fund, que também é conhecido como fundo de índice. Trata-se de um fundo de investimento que utiliza um determinado índice do mercado financeiro como referência para montagem do portfólio e desempenho. Por isso, a gestão desses fundos é passiva

Nesse caso, o gestor acompanha o mercado e, em geral, busca ativos que espelham a carteira teórica do índice. Logo, o ETF pode ter como benchmark qualquer indicador que seja reconhecido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Vale destacar que os ETFs surgiram em 1993 nos Estados Unidos, onde são bastante populares. No Brasil, a alternativa é um pouco mais recente. O primeiro fundo de índice começou a ser negociado no mercado nacional apenas em 2004.

Portanto, é comum que eles ainda gerem dúvidas nos investidores. Mas a alternativa também tem se popularizado nos últimos anos, com novas opções surgindo para compor a carteira de quem se interessa pelo investimento.

Como funcionam os ETFs?

As cotas dos ETFs são negociadas na bolsa de valores e acompanham as variações do mercado. Como você viu, para que possam espelhar os resultados do índice de referência, o gestor costuma replicar a carteira teórica do indicador.

Assim, o investidor não tem poder de decisão sobre os ativos que compõem a carteira do fundo. Além disso, a gestão precisa ser remunerada por meio da taxa de administração. Como ela é passiva, o valor cobrado costuma ser menor que as taxas de outros tipos de fundos disponíveis. 

Existem ETFs de diferentes tipos. Há alternativas que replicam índices de renda fixa e de renda variável. Ainda, é possível encontrar fundos de índice que replicam indicadores diversos — desde índices nacionais, como o Ibovespa, até indicadores internacionais.

Quais as vantagens o ETF pode trazer ao investidor?

Para entender por que o número de ETFs listados na B3 tem aumentado, é importante conhecer as principais vantagens desse investimento. Confira alguns benefícios que estão chamando a atenção do mercado e dos investidores:

Acessibilidade

Um dos pontos positivos dos ETFs é o fato de que não é necessário ter uma grande quantidade de dinheiro para começar a investir. Em comparação com outras alternativas do mercado, o preço das cotas costuma ser acessível a qualquer investidor.

Além disso, o portfólio dos ETFs é composto por diversos ativos. Isso faz com que seja mais barato comprar uma cota do fundo de índice do que investir de forma individual nos diferentes investimentos que o compõem.

Diversificação

Os investidores não podem investir diretamente em um índice do mercado financeiro. Por isso, se você tiver interesse em acompanhá-los, precisará montar uma carteira individual com diversos ativos. Além de envolver muito trabalho, a tarefa também demandaria custos elevados — como você viu.

Nesse sentido, os fundos de índice permitem que você se exponha aos índices de maneira mais prática, potencializando a diversificação do seu portfólio.

Possibilidade de internacionalizar a carteira

Outra vantagem dos fundos de índice está na possibilidade de investir internacionalmente. Afinal, os ETFs podem também estar referenciados em indicadores do mercado externo. Isso faz com que eles sejam uma alternativa para os investidores atrelarem seus investimentos ao exterior.

Logo, é uma forma de investir indiretamente, por exemplo, nas maiores empresas do mundo, como Google, Amazon, Facebook etc. Também é possível se expor a setores internacionais específicos — como o segmento de tecnologia, cada vez mais em alta nos Estados Unidos.

Todo o processo é feito diretamente pela bolsa brasileira e em reais. Por isso, não é necessário se preocupar com a remessa de câmbio e outras burocracias.

Sem incidência de come-cotas

Ao contrário de outros fundos de investimento disponíveis no mercado, não há incidência de come-cotas sobre o ETF. Ele se refere à antecipação semestral no recolhimento do Imposto de Renda, que pode prejudicar a rentabilidade do investimento.

No caso dos ETFs, o Imposto de Renda é pago apenas no momento da venda das cotas. Ele é contabilizado sobre o rendimento obtido com o ganho de capital.

Por que o número de ETFs na B3 tem crescido?

Como você viu, os ETFs são uma alternativa de investimento bastante sólida em outros mercados, como na bolsa dos Estados Unidos. Contudo, com o mercado brasileiro agora mais maduro, tem existido mais espaço para novas alternativas de investimento.

Ademais, com as frequentes quedas na taxa de juros nos últimos anos, é cada vez maior o número de investidores pessoas físicas na bolsa de valores. Em geral, eles buscam novas oportunidades de investimento e diversificação da carteira.

Com isso, os investidores tendem a identificar as vantagens dessa modalidade. Afinal, muitos buscam alternativas para realizar investimentos práticos, mais acessíveis e de fácil diversificação — inclusive, relacionados ao mercado internacional.

Desse modo, os fundos de índice passaram a compor os portfólios de muitos investidores. E o movimento estimula a entrada de novos ETFs na B3.

Evolução do mercado

Conforme o mercado evolui, os ETF também se transformam. Com o desenvolvimento e o sucesso das criptomoedas, por exemplo, novos fundos de índice têm surgido para contemplar essas alternativas.

Ainda, como você viu, é possível encontrar ETFs voltados a diferentes tipos de índices, que focam em variados setores e tipos de ativos. Dessa maneira, com o sucesso dos lançamentos dos índices, as gestoras são incentivadas a criar novos fundos no mercado brasileiro.

Além disso, o processo para investir em ETF é bastante simples. Basta ter conta em uma instituição financeira e analisar se esse investimento corresponde ao seu perfil e aos seus objetivos financeiros. Depois, basta buscar pelo fundo correspondente no home broker e enviar uma ordem de compra.

Agora você sabe por que o número de ETFs está crescendo na bolsa de valores. Ainda há bastante espaço para novos fundos de índice, especialmente com o maior interesse dos investidores brasileiros. Porém, antes de investir, não deixe de analisar suas estratégias e identificar o ETF mais alinhado a elas!

Gostou de saber mais sobre o assunto? Então complemente a leitura e entenda a diferença entre BDRs e ETFs!

Deixe um comentário aqui =D