REITs: o que são e como investir nos fundos imobiliários dos EUA?

Compartilhe com seus amigos:

REITs: o que são e como investir nos fundos imobiliários dos EUA?

Você conhece os REITs? Essa modalidade de investimento, disponível no mercado norte-americano, apresenta-se como uma oportunidade para quem busca diversificar e internacionalizar suas carteiras de investimentos.

Embora traga consigo algumas similaridades com os fundos imobiliários (FIIs) brasileiros, as alternativas contam com diferenças importantes em suas estruturas. Por isso, é fundamental entender o funcionalmente para tomar decisões mais alinhadas aos seus objetivos no mercado financeiro.

Quer conhecer mais sobre os REITs? Neste artigo você entenderá o que são e como investir nesses ativos norte-americanos. Acompanhe a leitura!

O que são REITs?

O real estate investment trusts (REITs) representa ações de empresas dos Estados Unidos com expertise no mercado imobiliário nacional. Elas são responsáveis por gerenciar, administrar e investir em imóveis por todo o território norte-americano.

No entanto, para ser classificada como um trust, a empresa precisa cumprir alguns pré-requisitos. Entre eles, é possível destacar que pelo menos 75% de seus investimentos devem estar vinculados ao mercado de imóveis de alguma forma.

Além disso, de acordo com a regulamentação norte-americana, no mínimo 90% dos lucros do REIT devem ser distribuídos entre os acionistas. Assim, essas empresas podem emitir ações e disponibilizá-las para os investidores na bolsa de valores. 

Outro ponto interessante dessa modalidade de investimento está nos seus tipos. De forma mais comum, existem os seguintes REITs:

  • equity;
  • mortgage;
  • hybrid.

Os equity REITs são os mais comuns — e representam mais de 90% do mercado. Neles, a empresa responsável administra empreendimentos físicos com foco em geração de renda — como imóveis comerciais, shoppings, etc.

Já os mortgage REITs investem em títulos, comprando ou criando hipotecas, por exemplo. Os hybrid, por sua vez, mesclam características de ambos.

Qual a diferença entre os REITs e os fundos imobiliários do Brasil?

Como você viu, os REITs são alternativas disponíveis para o investimento no mercado imobiliário. Por isso, em um primeiro momento, é possível traçar um paralelo com os fundos imobiliários (FIIs) do Brasil.

Contudo, há relevantes diferenças entre as duas modalidades. Em primeiro lugar, os REITs são ações, enquanto os FIIs são fundos de investimento. Assim, enquanto nos EUA a empresa conta com um CEO e um corpo administrativo, no Brasil há um gestor do fundo.

Além disso, as regras de distribuição de lucros também são diferentes. Como você viu, nos Estados Unidos as empresas precisam repassar 90% dos lucros aos acionistas. Nos fundos imobiliários, essa porcentagem é de 95%.

Outro aspecto de distinção entre as duas alternativas está na regularidade desses repasses. No mercado brasileiro, é comum que os FIIs paguem dividendos mensalmente aos cotistas. Com os REITs, esses repasses são, normalmente, trimestrais.

Vale a pena investir em REITs? 

Com essas informações em mãos, você deve estar se perguntando se é interessante investir em REITs. No entanto, não há uma resposta universal para essa pergunta. Por isso, é preciso conhecer as vantagens e desvantagens desse investimento.

Saiba mais!

Vantagens

Um dos principais benefícios de investir em REITs está na possibilidade de internacionalizar sua carteira de investimentos. Como são investimentos disponíveis no mercado norte-americano, eles podem ajudar a dolarizar seu patrimônio.

Com isso, seu capital estará exposto a um mercado mais forte e poderá estar menos suscetível às oscilações da economia brasileira. Afinal, é comum que a bolsa do Brasil tenha uma relação inversa com o dólar. Ou seja, quando ela está em baixa, a moeda dos EUA se valoriza.

Assim, os REITs podem trazer um maior equilíbrio ao seu portfólio e permitir a diversificação dos seus investimentos.

Desvantagens

Contudo, investir em REITs também pode trazer características capazes de não agradar a todos. Como estão na renda variável, não há garantias de retornos positivos. Assim, eles podem não estar alinhados aos objetivos de investidores conservadores.

Em adição a isso, é importante lembrar que os real estate investment trusts estão acessíveis no mercado dos Estados Unidos. Por isso, para investir diretamente neles, é preciso abrir uma conta de investimentos nesse país. Dessa forma, o processo pode ser complexo, custoso e burocrático.

Contudo, se você acredita que os REITs podem fazer sentido para o seu portfólio, vale conhecer as alternativas para fazer essa exposição via mercado brasileiro.

Como investir em REITs a partir do mercado brasileiro? 

Como você entendeu, para investir diretamente em REITs é preciso ter uma conta de investimentos em uma corretora dos Estados Unidos. No entanto, é possível aproveitar formas de se expor a essa alternativa por meio da bolsa de valores do Brasil, a B3.

Para isso, existem duas alternativas principais: BDRs e ETFs. Os brazilian depositary receipts (BDRs) são certificados que representam ativos internacionais. Uma instituição depositária brasileira adquire os investimentos estrangeiros e os mantém sob custódia, disponibilizando os BDRs. Contudo, a liquidez do ativo pode ser limitada.

Já os exchange traded funds, ou fundos de índice (ETFs) são fundos de investimentos que acompanham um indicador. No contexto dos REITs, há alternativas que seguem índices do mercado imobiliário norte-americano e buscam replicar os resultados para investidores brasileiros. É o caso, por exemplo, do ETF ALUG11.

Dessa forma, os fundos de índice permitem uma exposição ao mercado internacional e possibilitam a dolarização da sua carteira de maneira simples e acessível. Além disso, com a rentabilidade acompanhando esses índices, o investidor tem uma maior transparência quanto aos retornos.

O que considerar antes de investir?

Os REITs podem apresentar características interessantes para muitos investidores. Mas, antes de investir, é preciso definir o seu perfil de investidor e verificar se o seu nível de tolerância a riscos é adequado à renda variável. Como você viu, conservadores podem não se sentir confortáveis nessa modalidade.

Considere, ainda, os seus objetivos. Para entender se os REITs se configurem como uma oportunidade a ser considerada, você deve avaliar se ele combina com as suas metas. Por isso, analise se você tem interesse no mercado de imóveis norte-americano.

Agora você sabe que o que são os REITs e como eles têm potencial de trazer bons resultados para o seu portfólio. Todavia, investir por meio de uma corretora norte-americana pode ser um processo muito burocrático. Assim, os ETFs podem ser uma alternativa mais prática para investidores brasileiros.

Quer entender mais sobre fundos de índice? Então saiba como ter uma exposição global com ETFs!

Deixe um comentário aqui =D